Pesquisar notícia
sábado,
18 set 2021
PUB
Sociedade

Volta a Portugal a correr passa por Abrantes e Sardoal (C/ÁUDIO)

21/07/2020 às 00:00
Partilhar nas redes sociais:
Facebook Twitter

A etapa número oito, das 25 previstas, começou numa terra com um nome apropriado a esta aventura. Ou não. Eram 06:00 da manhã quando o salvaterrense João Paulo Félix saiu do Cansado, localidade do concelho de Ponte de Sor, para fazer os 45 quilómetros até ao Sardoal, passando por Abrantes, num percurso pela Estrada Nacional N.º 2.

Ao longo de 25 dias o atleta de ultramaratonas (provas que tenham distâncias superiores aos 42,195 metros) vai percorrer 1250 quilómetros numa volta a Portugal que começou a 15 de julho em Faro, que passa a 28 de julho por Chaves (percurso da EN n.º2) e que depois vira para Guimarães, Porto e desce até Lisboa, onde deverá terminar no dia 8 de agosto em Belém.

Às 09:23 desta terça-feira, João Paulo Félix, a 15 km de Abrantes, atendeu o telefone para explicar os pormenores desta ideia que nasceu durante o confinamento. Curiosamente, numa altura que até os treinos diminuíram.

Mas para além de ser uma prova de superação pessoal, 25 dias a correr uma média de 50 kms por dia. Ou seja, cerca de seis horas diárias.

Entrevista a João Féliz, quando estava a 15 kms de Abrantes

E neste desafio João Paulo Félix explicou que pretende homenagear todos os profissionais de saúde que estão na linha de defesa da pandemia e também ser uma voz contra a violência doméstica.

Já no desafio propriamente dito, uma das maiores preocupações é a alimentação, fruto de um esforço diário. Aqui a nutricionista do João Paulo teve um papel preponderante. É preciso dizer o que se come e não come. Por exemplo, a ausência das carnes vermelhas e uma refeição à base de saladas, hidratos de carbono, frutos secos e muitos líquidos. E, noutro exemplo, João Paulo Félix explica que o leite com chocolate, coisa que nem bebe no quotidiano, é fundamental nos finais de etapas para repor energias.

Neste seu projeto, tem uma equipa que o acompanha de carro e que garante a ligação ao mundo, através das redes sociais. E se for preciso alguma coisa todas as etapas são feitas com o telemóvel ligado e com o auricular na orelha.

Não conseguiu ter nesta aventura a presença de um fisioterapeuta para o acompanhar. De notar que este desafio é pessoal do João Paulo Félix e não tem ligação a instituições ou empresas.

Declaração de João Félix no arranque da 7.ª etapa

Ao longo dos quilómetros que já percorreu diz que tem começado de manhã bem cedo por forma a fugir ao calor intenso do Alentejo. E atravessou esta região na altura mais quente do ano, pelo menos até agora. Os dias mais quentes foram passados no percurso alentejano. Agora é seguir para norte. Hoje chegou ao Sardoal. Amanhã às 06:00 da manhã parte com destino a Pedrogão Grande, depois a Góis, Santa Comba Dão e por aí fora até Chaves, onde deverá chegar a no dia 28. João Paulo Félix encetará depois o caminho para Guimarães, a descida pelo Porto até Belém, onde deverá chegar no dia 8 de agosto, depois de concluída a 25.ª etapa desta prova de superação pessoal, a uma média de 50 quilómetros diários, o que equivale a seis horas de corrida por dia.

Uma volta a Portugal em nome da superação do desafio dos 1250 kms, da luta contra a violência doméstica e da homenagem aos profissionais de saúde de Portugal.