Pesquisar notícia
sábado,
25 set 2021
PUB
Sociedade

Tejo: proTEJO solidariza-se com Arlindo Consolado Marques, alvo de processo de difamação pela Celtejo

26/12/2017 às 00:00
Partilhar nas redes sociais:
Facebook Twitter

O proTEJO – Movimento pelo Tejo teve conhecimento que Arlindo Consolado Marques, seu membro e secretário da mesa do Conselho Deliberativo, está a ser alvo de uma ação interposta pela empresa CELTEJO - Empresa de Celulose do Tejo, S.A., pertencente ao Grupo ALTRI, por ofensas à sua credibilidade e bom nome em consequência das denúncias que o mesmo tem feito e divulgado nas redes sociais sobre a poluição do rio Tejo, reclamando o pagamento de uma indemnização de 250 mil euros.

Em comunicado enviado às redações, pode ler-se que “consideramos que esta ação contra o Arlindo Consolado Marques é uma ação contra este movimento e contra todos os cidadãos de Portugal e Espanha que se preocupam com o rio Tejo.

O Arlindo Consolado Marques é um cidadão que tem prestado bons serviços à sociedade e ao ambiente sendo um verdadeiro “guardião do rio Tejo” ao denunciar a poluição do rio Tejo e sendo a voz e os olhos vigilantes das populações ribeirinhas e de todos aqueles que se preocupam com o rio Tejo.

Em muitas das situações registadas e denunciadas por Arlindo Marques existem fortes suspeitas da poluição existente no rio Tejo ser proveniente da Celtejo ou de indústrias de papel associadas uma vez que esta empresa foi sinalizada pela Agência Portuguesa do Ambiente como contribuinte significativa para as ocorrências de poluição no rio Tejo.

Com efeito, a atribuição de responsabilidades a esta indústria de celulose ligada à fileira do eucalipto por poluição do rio Tejo foi feita publicamente por numerosas pessoas, nomeadamente por várias figuras públicas (ver lista de citações no final).

Solidarizamo-nos com Arlindo Consolado Marques comprometendo-nos a tomar todas as diligências para que este não seja condenado por exercer a sua cidadania e para que a ação interposta pela Celtejo seja uma oportunidade para um cabal esclarecimento sobre as responsabilidades pela poluição do rio Tejo.

Repudiamos este ato de intimidação que tenta condicionar o direito constitucional que todos os cidadãos têm de expressar livremente a sua opinião e que vem somar-se a outros que têm vindo a ocorrer sobre ambientalistas que prestam um serviço público de elevada valia e respeitabilidade ao denunciarem as ações de uns poucos que muito têm contribuído para a degradação o rio Tejo e seus afluentes.

É lamentável que a Celtejo venha fazer de bode expiatório este simples cidadão sem meios para fazer frente a este gigante da indústria e não tenham sido interpostas ações judiciais contra políticos, deputados e outras figuras públicas.

O proTEJO e todas as organizações da Rede de Cidadania por uma Nova Cultura da Água do Tejo/Tajo e seus afluentes, em Portugal e Espanha, darão todo o apoio a Arlindo Marques, quer moral, para que tenha força e coragem para continuar o seu válido contributo para as comunidades ribeirinhas, quer de cidadania, contribuindo para que este incidente sirva de exemplo para quem pense enveredar pela via da intimidação.

Este é um caso de justiça e iremos empenhar todas as nossas forças para que dele sejam retiradas as devidas consequências como é devido num Estado de direito.

Esta é a hora de retribuirmos e de nos unirmos todos na defesa de Arlindo Consolado Marques tal como ele tem defendido o rio Tejo e os seus afluentes.

Apelamos ainda a que todas as comunidades ribeirinhas do rio Tejo e seus afluentes, em Portugal e Espanha, se solidarizem agora para defender aqueles que com o risco da própria vida protegem os nossos rios”.

O comunicado termina com a afirmação de que “O Arlindo Consolado Marques merece e o Tejo também o merece!” e, finaliza com “Somos todos Arlindo Marques!”