Pesquisar notícia
sexta,
24 set 2021
PUB
Sociedade

Proteção Civil: Prolongamento do período crítico de incêndios

18/11/2017 às 00:00
Partilhar nas redes sociais:
Facebook Twitter

Após nova avaliação das condições meteorológicas, o Governo voltou a prorrogar o período crítico de incêndio, tendo em conta «a provável ausência de precipitação significativa».

Trata-se de uma circunstância que «promove a manutenção dos índices de perigo de incêndio em valores superiores aos típicos para a presente altura do ano», pode ler-se no despacho do Secretário de Estado das Florestas e do Desenvolvimento Rural, Miguel João de Freitas, publicado em Diário da República.

O documento determina que, «face ao exposto, considera-se prudente manter a adoção das medidas e ações especiais de prevenção de incêndios florestais, que decorrem durante o período crítico, no âmbito do Sistema de Defesa da Floresta contra Incêndios».

Por este motivo, «é prorrogado até 23 de novembro o período crítico no âmbito do Sistema de Defesa da Floresta contra Incêndios (…) por força das circunstâncias meteorológicas excecionais», pode ler-se no Despacho que entra em vigor a 17 de novembro de 2017.

Assim, é proibida a realização de queimadas em todo o país.

Durante o período crítico de incêndios, nos espaços florestais ou agrícolas, continua a não ser permitido:

·  Realizar fogueiras para recreio, lazer ou para a confeção de alimentos;

·  Utilizar equipamentos de queima e de combustão, destinados à iluminação ou à confeção de alimentos;

·  Queimar matos cortados e amontoados ou qualquer tipo de sobrantes de exploração;

·  Lançar balões com mecha acesa ou qualquer outro tipo de foguetes;

·  Fumar ou fazer lume de qualquer tipo nos espaços florestais e vias de atravessamento ou circundantes;

·  Fumigar ou desinfestar apiários com fumigadores que não estejam equipados com dispositivos de retenção de faúlhas.

Recorda-se ainda os cuidados a ter com trabalhos agrícolas e florestais:

·  Manter as máquinas e equipamentos limpos de óleos e poeiras;

·  Abastecer as máquinas a frio e em local com pouca vegetação;

·  Guardar todo o cuidado com as faíscas durante o seu manuseamento, evitando a sua utilização nos períodos de maior calor.