Operação da PJ contra auxílio à imigração em ilegal em curso. Funcionários do SEF, Finanças e Segurança Social detidos

Sociedade 2019-10-15
DR
DR

A Polícia Judiciária (PJ) tem em curso uma operação na zona da Grande Lisboa para desmantelar uma rede criminosa de auxílio à imigração ilegal.

A investigação que está a ser executada pela Unidade Nacional de Contraterrorismo da PJ visa desmantelar um grupo criminoso de auxílio à imigração ilegal que atua com a conivência de funcionários de diversas entidades do Estado, incluindo a Segurança Social e a Autoridade Tributária (AT).

Nesta investigação, em que já houve detenções, há suspeitas dos crimes de auxílio à imigração ilegal, falsificação de documentos, associação criminosa para auxílio à imigração ilegal e corrupção.

Diz a PJ em nota de imprensa enviada às redações que "os detidos, com idades compreendidas entre os 28 e os 64 anos, são suspeitos da prática dos crimes de associação criminosa, auxílio à imigração ilegal, de casamento por conveniência, de falsificação de documentos, de abuso de poder, de corrupção ativa e passiva, de branqueamento, de falsidade informática e acesso indevido, atividade criminosa que permitiu obter elevados proventos financeiros".

Entre os detidos "encontram-se funcionários da Autoridade Tributária, do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras e do Instituto da Segurança Social, cumprindo destacar a melhor colaboração institucional por parte destes Serviços do Estado". 

"No decurso da operação, a PJ realizou dezenas de buscas domiciliárias e não domiciliárias e deteve dezenas de pessoas suspeitas de integrarem esta estrutura criminosa, constituída por indivíduos com vastos antecedentes criminais e com ligações a redes internacionais que determinam e controlam os fluxos migratórios irregulares com origem em diversos países da Ásia Meridional e África", diz a nota.

Os detidos nesta operação com mais de três anos da Unidade Nacional de Contraterrorismo são suspeitos de se deixarem corromper por redes mafiosas bem estruturadas, com as quais têm ligações e que apostam na exploração e no tráfico de imigrantes, com fins de escravatura laboral ou sexual envolvidos, em Portugal e noutros países do espaço Schengen.

Acrescenta a nota da PJ que "os detidos serão presentes amanhã no Tribunal de Instrução Criminal de Lisboa para primeiro interrogatório judicial tendo em vista a aplicação das respetivas medidas de coação".

(Redação - Notícia atualizada às 12:25)