Pesquisar notícia
sábado,
18 set 2021
PUB
Sociedade

Mulher denuncia agressão no hospital de Abrantes

20/09/2018 às 00:00
Partilhar nas redes sociais:
Facebook Twitter

Telma Correia, 28 anos, residente no Pego, afirma ter sido agredida no serviço de urgência do Hospital de Abrantes, na passada terça-feira, dia 18 de setembro, à noite.

A mulher conta à Antena Livre que deu entrada no serviço de urgência de Abrantes por volta das 18h00 de terça-feira devido a “uma dor de ouvidos e de garganta”.

De seguida, refere que passadas “5 horas de espera” dirigiu-se ao segurança do serviço de urgência e perguntou se ainda demorava muito para ser atendida, recebendo a indicação que teria de perguntar ao médico: “Dirigi-me ao consultório do médico e perguntei se faltava muito, uma vez que já estava há muito tempo à espera e via pessoas a passar à minha frente com a mesma cor verde. Ele disse-me que não me iria responder, que estava a trabalhar e fechou-me a porta na cara”, refere.

Após a situação, Telma Correia escreveu no livro de reclamações do hospital e voltou a esperar. Por volta das 24h00, Telma voltou a dirigir-se ao gabinete do mesmo médico e voltou a questionar se ainda faltava muito para ser atendida: “Ele desatou de novo aos gritos, vinha para fechar de novo a porta e eu perguntei se o ia voltar a fazer porque afinal estava há uma hora e meia sem chamar ninguém e estava agarrado ao computador. Ele agarrou-me à força pelos braços e puxou-me. Se não fosse o meu marido, ele teria feito pior. Tenho o braço bastante negro”, conta.

Telma Correia acabou por vir embora do hospital sem receber assistência médica. Ainda no local, chamou a PSP de Abrantes e ontem formalizou uma queixa junto daquela força policial.

Contactado pela Antena Livre, Daniel Marques, comissário da PSP de Abrantes, confirmou o registo da queixa dando conta que a “PSP se deslocou ao local e constatou que havia ali um desentendimento entre o médico e a utente, não se tendo verificado na presença da polícia qualquer tipo de agressão. Contudo, foram recolhidos os depoimentos de ambos e das testemunhas que estavam presentes no local, que serão avaliados em sede de inquérito sob a tutela do Ministério Público de Abrantes”.

Vai ser elaborado um processo crime por ofensa à integridade física para se apurar se houve ou não efetivamente a agressão”, acrescentou o responsável.

A Antena Livre contactou o Centro Hospitalar do Médio Tejo (CHMT) para prestar declarações sobre o assunto e até ao momento foi-nos dito que “o CHMT iniciou de imediato procedimento interno para aferir as circunstâncias dos factos denunciados”.

 

*Declarações para ouvir esta sexta-feira no alargado do 12h00 da Antena Livre