Pesquisar notícia
quarta,
22 set 2021
PUB
Sociedade

Mau Tempo: Porto, Braga, Aveiro, Vila Real e Viana do Castelo sob aviso vermelho - IPMA (ATUALIZADA)

18/12/2019 às 00:00
Partilhar nas redes sociais:
Facebook Twitter

 O Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) elevou hoje para vermelho o aviso relativo aos distritos do Porto, Braga, Aveiro, Vila Real e Viana do Castelo devido à previsão de chuva forte e persistente a partir de quinta-feira.

O aviso do IPMA vigora entre as 12:00 e as 21:00 em Vila Real e Braga, e entre as 12:00 e as 18:00 em Viana do Castelo, adianta o instituto em comunicado divulgado esta noite.

No Porto e em Aveiro, o aviso vermelho está em vigor entre as 15:00 e as 21:00.

Segundo o IPMA, prevê-se chuva “forte e persistente, podendo ser acompanhado de trovoada” nestes cinco distritos.

Sob aviso laranja para precipitação, vento ou agitação marítima, que vigoram em diferentes períodos entre a noite de hoje e sábado, vão estar os distritos de Bragança, Viseu, Porto, Guarda, Faro, Vila Real, Setúbal, Santarém, Viana do Castelo, Lisboa, Leiria, Beja, Castelo Branco, Coimbra, Portalegre e Braga.

No aviso relativo ao vento, nos distritos de Bragança, Viseu, Porto, Guarda, Faro, Vila Real, Santarém, Viana do Castelo, Lisboa, Leiria, Castelo Branco, Aveiro, Coimbra, Portalegre e Braga podem ser registadas rajadas de vento entre os 100 e os 130 quilómetros por hora.

Só com avisos amarelos estará o distrito de Évora, para precipitação e vento.

A Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil alertou hoje a população para o agravamento das condições meteorológicas, com precipitação forte e persistente, vento forte nas terras altas e agitação marítima forte em toda a costa.

A Proteção Civil alerta para a possibilidade de "inundações rápidas em meio urbano, por acumulação de águas pluviais ou insuficiências dos sistemas de drenagem", e "inundações por transbordo das linhas de água nas zonas historicamente mais vulneráveis".

Informa ainda que, tendo em conta as previsões do IPMA, há a possibilidade de inundações de "estruturas urbanas subterrâneas com deficiências de drenagem" e de formação de lençóis de água na estrada, além da queda de ramos de árvores, danos em estruturas montadas ou suspensas.

Lusa