Pesquisar notícia
sábado,
18 set 2021
PUB
Sociedade

Mação: Dia da Criança bateu à porta de todas as crianças (C/ÁUDIO) ATUALIZADA

1/06/2020 às 00:00
Partilhar nas redes sociais:
Facebook Twitter

Estes novos tempos são estranhos. São diferentes, porque a vida faz-se em torno de regras de segurança por causa do coronavírus. Este é também um Dia da Criança diferente. Seguramente, diferente a todos os níveis.

Em Mação, por forma a celebrar o dia, sem festas ou atividades que concentrem as crianças num pavilhão, ou num espaço mais confinado, a autarquia resolveu as coisas de forma simples. Se as crianças não vêm até nós, nós vamos até às crianças. E, literalmente, foi isso que foi feito.

Manhã cedo, pouco depois das 08:00 a malta das roupas coloridas, que é como quem diz, os animadores estacionaram à porta da Câmara Municipal de Mação. Foi ali que a Meganimação preparou os seus “bonecos” e as viaturas para poderem acompanhar com mais cor, e divertimento, as viaturas com o pessoal técnico da Câmara de Mação.

Equipa da Meganimação e do município de Mação 

Ao longo dos últimos dias o serviço da autarquia elaborou uma extensa e completa lista com as moradas de todas as crianças do concelho. Casa a casa, rua a rua. Uma a uma. Assim mesmo. A lista para que nenhuma criança fique de fora deste seu dia.

E mesmo que alguma não esteja para receber “ser-lhe-à entregue depois”, diz a vereadora Margarida Lopes que acompanhou parte da manhã desta iniciativa.

Passavam cerca de 30 minutos das 09:00 quando as seis viaturas [três da Meganimação e três do município] partiram para três rotas distintas. Todas fazem a zona da vila e depois dividem-se por itinerários diferentes para que, cerca das 18 horas, possam regressar com o espírito de missão cumprida. Uma equipa vai seguir para Aboboreira, Amendoa e Cardigos. Outra seguirá para Carvoeiro e Envendos. E a outra para a Ortiga, Penhascoso e Queixoperra. Há um facto curioso na aldeia de Queixoperra vivem 15 crianças com idade até 12 anos. Ou seja, a idade para aqueles que beneficiam deste “miminho” do Dia da Criança.

 

Margarida Lopes, vereadora da Câmara Municipal de Mação

São cerca de 350 crianças em todo o concelho”, diz a vereadora acrescentando que é uma forma diferente de assinalar o dia. “Há 20 anos que fazíamos um dia diferente. Este ano tem de ser assim. Temos aldeias onde só há uma criança. Mas vamos a todos os cantos do concelho”, revela a autarca ao mesmo tempo que indica o trabalho intenso do pessoal do município na preparação deste dia.

É apenas uma lembrança. Vamos dar um saquinho com um cantil para água, um docinho [os pais vão desculpar, mas deste dia não vai haver problema] e um moinho de vento. Estes moinhos foram feitos pelos funcionários do município. Vamos dar um saquinho a cada criança”, explicou a vereadora que, à margem do Dia da Criança revela que a creche e os jardins de infância reabriram no concelho deste 1 de junho cumprimento todas as regras.

Animador (super-homem) leva as prendas para as crianças

Algumas crianças vieram à porta, com supervisão dos pais, buscar a prenda do município

Uma das paragens de uma das equipas foi no jardim de infância do Agrupamento Escolar Verde Horizonte. Cinco salas e um silêncio, esquisito. Afinal a gritaria de uma escola está agora mais restrita.

Em cada sala as regras dos novos tempos. Crianças afastadas. Educadoras e auxiliares de máscaras. Setas no chão a indicar os percursos para que as crianças possam facilmente aprender a viver com as normas vigentes. À porta das salas, uma a uma, as crianças vêm buscar o seu saquinho. É o “super-homem” de viseira que entrega as prendas. As crianças, mais envergonhadas que o normal, vêm, uma a uma, à porta para receberem a sua prenda. Mesmo um super-homem mais brincalhão são consegue transformar aqueles momentos em mais gritaria ou mais gargalhadas.

As novas regras dos jardins de  infância na reabertura depois do Estado de Emergência 

Perpétua Marques, diretora do jardim de infância, explica que é diferente, mas adianta que as crianças poderão adaptar-se mais rapidamente do que os adultos. É assim que está a encarar este regresso onde o mais complicado não é as crianças não poderem partilhar brinquedos e mesas ou espaços: “É nos afetos que custa mais. O abracinho que não se pode dar. Aí é que custa mais“.

Seja como for é o Dia da Criança, em Mação todas as crianças do concelho vão receber uma prendinha num 1 de junho, seguramente, muito diferente.