Lampreia e Sável “para comer e chorar por mais” em Vila Nova da Barquinha

Sociedade 2019-02-01
Foto de Pérsio Basso
Foto de Pérsio Basso

A comemorar um quarto de século de existência, a mostra gastronómica “Mês do Sável e da Lampreia” está de volta ao concelho de Vila Nova da Barquinha. Pelo 25.º ano consecutivo, estes sabores únicos do peixe do rio podem ser apreciados, entre 9 de fevereiro e 31 de março, à mesa dos 8 restaurantes aderentes à edição deste ano.

O festival promovido pelo Município de Vila Nova da Barquinha tem como principal objetivo difundir a cozinha típica e tradicional de um concelho banhado por três rios - Tejo, Zêzere e Nabão – e cuja história está intimamente ligada à atividade piscatória.

Fernando Freire, presidente da Câmara Municipal, explica que a aposta continuada na mostra se deve ao facto de “haver uma grande aceitação por parte do público” e porque é necessário apostar “nos recursos endógenos”.

“Sabemos que há pessoas que se deslocam de todo o país para visitar VN Barquinha para apreciar o Castelo de Almourol, mas também para vir comer e se deliciar com a lampreia. Todos os anos, isto acontece. Todos os anos é repetido e isso quer dizer que em 25 anos já temos um público fiel”, elucidou.

Quanto às questões ligadas ao rio Tejo, Fernando Freire considerou que se “melhorou muito”.

“Aquilo que assistimos no ano passado e há dois anos em relação à qualidade das massas de água que circulam no Tejo, não tem nada a ver com aquilo que hoje se vê. O nosso pescador, o Rui de Tancos, disse que há muito mais lampreia em relação aos anos anteriores, o que significa que estão a vir mais cedo e que as águas estão mais puras”, realçou.

Este ano, os visitantes que degustem nos restaurantes aderentes a lampreia e o sável poderão ganhar bilhetes para passeios de barco ao Castelo de Almourol e ao Centro de Interpretação Templário (CITA).

“Todos os anos oferecíamos passeios de barco a Almourol. Este ano, incorporámos a visita ao Centro de Interpretação Templário. O bilhete dá para os dois espaços. Por isso, venham apreciar o novo centro, conhecer a história dos templários em Portugal e também degustar excelentes sabores”, apelou o presidente.

Quanto ao seu gosto pela lampreia ou pelo sável, o presidente disse que as duas iguarias “são bem-vindas” (risos), mas é na lampreia que encontra uma maior satisfação.

 Iguarias como Açorda de Sável e Arroz de Lampreia, entre outras receitas tradicionais, serão servidas nos restaurantes Almourol, Chico, Loreto, Ribeirinho, Soltejo, Stop, Tasquinha da Adélia e Trindade.