Pesquisar notícia
segunda,
26 jul 2021
PUB
Sociedade

Jorge Ferreira Dias condenado a 1 ano e seis meses com pena suspensa

15/07/2021 às 16:12
Partilhar nas redes sociais:
Facebook Twitter

Jorge Ferreira Dias foi condenado esta quinta-feira pelo Tribunal de Santarém, a um ano e seis meses de prisão com pena suspensa pelo período de dois anos.

O arguido, de 65 anos, tinha sido acusado pelo Ministério Público (MP) por cinco crimes: um de coação contra órgão constitucional, um de ameaça agravada e três de ofensa à integridade física qualificada, pelas agressões ao presidente da Câmara, Manuel Valamatos, ao vice-presidente João Gomes e a Manuela Santos, a funcionária que controlava o acesso ao interior do Edifício Pirâmide, onde decorria a reunião, vedada ao público devido às restrições da pandemia.

De acordo com o acórdão, o Tribunal condenou Jorge Ferreira Dias por quatro dos cinco crimes, porque não conseguiu ser provada a agressão ao presidente da Câmara de Abrantes.

O jornal Rede Regional adianta o empresário foi condenado por dois crimes de ofensa à integridade física qualificado, um crime de ameaça e um crime de coação contra ordem constitucional.

Como pena acessória, o juiz decretou ainda que o empresário não pode eleger nem ser eleito para qualquer órgão autárquico, no período de dois anos, pela condenação desde último crime de coação contra ordem constitucional.

Esta pena acessória terá sido aplicada porque o empresário estaria a preparar uma candidatura aos órgãos autárquicos de Abrantes pelo CHEGA.

Ao jornal mediotejo.net o empresário confirmou, à saída do Tribunal de Santarém, que lhe cortaram as pernas porque iria ser candidato e “ganhar a Câmara de Abrantes”.

Jorge Ferreira Dias foi detido a 22 de dezembro de 2020, depois de ter irrompido pela reunião do executivo municipal que decorria no Edifício Pirâmide. No dia 23 de dezembro, no Tribunal de Santarém, foi ouvido em primeiro interrogatório judicial onde o juiz de instrução criminal lhe aplicou a medida de coação mais gravosa e o mandou recolher ao Estabelecimento Prisional de Leiria.

Esteve em prisão preventiva até 14 de janeiro deste ano, data em que foi libertado com obrigação de permanência no domicílio, sob vigilância eletrónica.

Durante o período em em que esteve preso, Jorge Ferreira Dias escreveu a sua história num livro que foi lançado já este ano, intitulado “As Noites Mais Longas da Minha Vida”. Neste livro, Jorge Ferreira Dias narra, na primeira pessoa, as suas experiências no Estabelecimento Prisional de Leiria. É um livro que o próprio está a vender através das suas redes sociais.