Pesquisar notícia
quinta,
23 set 2021
PUB
Sociedade

Greve à limpeza dos comboios com adesão elevada mas sem perturbações na circulação

1/09/2021 às 18:11
Partilhar nas redes sociais:
Facebook Twitter

Os comboios e as estações da CP estão hoje sem limpeza devido à greve dos trabalhadores da Ambiente e Jardim, que, no entanto, não causou nenhuma supressão na circulação durante a manhã.

Os trabalhadores iniciaram hoje uma greve de seis dias contra a falta de pagamento dos salários de julho e agosto por parte da empresa de limpeza industrial Ambiente e Jardim e, segundo o Sindicato dos Trabalhadores de Serviços de Portaria, Vigilância, Limpeza, Domésticas e Actividades Diversas (STAD), a adesão foi quase total a nível nacional.

"A adesão à greve na limpeza dos comboios foi de 100% em Faro, Coimbra e Entroncamento, de 99% na zona do Porto e de 95% na zona de Lisboa, enquanto na limpeza das estações foi de 100%", disse à agência Lusa Vivalda Silva, coordenadora do STAD.

A CP tinha admitido em comunicado que esta greve poderia causar algumas perturbações na circulação de comboios, mas fonte oficial da empresa disse à Lusa que durante a manhã não houve qualquer supressão.

Os cerca de 500 trabalhadores da Ambiente e Jardim têm continuado a desempenhar o serviço de limpeza dos comboios da CP, das estações ferroviárias da IP – Infraestruturas de Portugal, e da Câmara Municipal de Sintra, apesar de estarem sem receber salário há dois meses.

Os trabalhadores já concretizaram várias ações de luta e o STAD tem tido reuniões com os clientes da Ambiente e Jardim, que têm vindo a substituir esta empresa por outras do setor, que asseguraram aos trabalhadores a manutenção dos respetivos postos de trabalho.

O Hospital Pedro Hispano, em Matosinhos, e a Câmara Municipal de Sintra também tomaram essa decisão recentemente e o STAD espera que a CP e a IP também o façam.

Vivalda Silva disse à Lusa que a CP convocou o sindicato para uma reunião ao início da tarde e afirmou que a greve deverá ser levantada se a empresa apresentar uma solução para a situação.

Fonte da CP disse à Lusa que a CP vai rescindir o contrato com a Ambiente e Jardim e lançar um concurso com urgência para um novo contrato.

Segundo o STAD, esta não é a primeira vez que os salários estão em atraso, uma vez que as remunerações de maio só foram pagas no dia 15 de junho, após uma greve dos trabalhadores.

Lusa

Palavras chave:
CP Greve Limpeza