Pesquisar notícia
terça,
21 set 2021
PUB
Sociedade

Estação de tratamento de água da Asseiceira vai produzir toda a eletricidade que consome

6/08/2020 às 00:00
Partilhar nas redes sociais:
Facebook Twitter

A EPAL anunciou hoje a construção de uma central hidroelétrica na estação de tratamento de águas da Asseiceira, por onde passa toda a água que chega às torneiras da Grande Lisboa, que vai produzir toda a eletricidade que consome.

No valor de cinco milhões de euros, a central hoje adjudicada fará da Asseiceira “a primeira ETA do mundo 100% autossustentável em energia sem recurso a painéis fotovoltaicos”, declara a empresa em comunicado.

A ETA da Asseiceira, no concelho de Tomar, recebe água da albufeira de Castelo de Bode, e por aquela instalação passam anualmente 160 mil milhões de litros de água que serve para consumo humano.

“A central hidroelétrica da ETA da Asseiceira produzirá energia elétrica turbinando a água nas condutas que transportam água para Lisboa, permitindo que a ETA atinja a neutralidade energética, assim como a Estação Elevatória de Castelo de Bode”, refere a empresa.

Além de reduzir as emissões carbónicas ao produzir a própria eletricidade que lhe permite funcionar, a instalação ficará também mais bem equipada para resistir a tempestades ou outros fenómenos que afetem a distribuição de energia, uma vez que a ETA e a estação elevatória ficarão ligadas através de uma linha elétrica dedicada, que passará debaixo do chão.

Até setembro, a EPAL adjudicará cerca de 19 milhões de euros em investimentos de eficiência energética e produção de eletricidade, incluindo uma segunda minicentral hidroelétrica na Estação Elevatória de Vila Franca de Xira.

Globalmente, a EPAL vai investir 70 milhões de euros para conseguir produzir toda a eletricidade que consome até 2025.

O grupo Águas de Portugal, a que a EPAL pertence, anunciou na semana passada que pretende produzir toda a eletricidade consumida dentro do grupo, o maior consumidor público de eletricidade em Portugal, até 2030.

Lusa