DECO diz que os incensos podem causar cancro

Sociedade 2020-01-23

Os incensos fazem parte das nossas vidas. Mesmo quem não usa incensos já, por certo, entrou em locais onde os mesmos são usados para os mais variados fins. Mas segundo um estudo da Associação de Defesa dos Consumidores Portuguesa (DECO) os incensos são nocivos para a saúde humana e pode mesmo provocar cancro.

Segundo o estudo da DECO, realizado em agosto de 2019, foram testados em laboratório diversos incensos comprados em diversas lojas. A associação identificou os incensos e velas que foram “experimentados”.

Antonieta Duarte e Sílvia Menezes conduziram o estudo técnico que verificou que há dois tipos de incenso vendidos nas lojas de decoração ou de produtos esotéricos. Os incensos “naturais” que são fabricados com uma mistura prensada de pó aromático, resinas, seiva de flores e arbustos, por vezes, com a adição de óleos perfumados. “Também se junta à receita um pó facilitador da combustão, como o carvão ou o salitre”.

Segundo o mesmo estudo, para fabricar a versão artificial, ou seja, mais “química”, adiciona-se carvão ou restos de madeira a uma haste, e em seguida passa-se por um corante e um perfume com solventes.

As velas, que têm aromas, também foram objeto de um olhar mais aprofundado das técnicas. As velas são feitas a partir de parafina, cera de abelha e estearina. Depois juntam-se os corantes e perfumes.

Segundo os testes da Associação de Defesa do Consumidor o fumo da queima dos incensos liberta uma “série de substâncias nocivas, que nada têm de “natural” ou “purificante”, nem tão-pouco trazem “energia positiva”: apenas contribuem para degradar o ar do espaço interior, já de si nem sempre recomendável”.

Depois de ter adquirido seis incensos distintos, com preços que variam entre 1,95€ e 4,90€, as técnicas verificaram em laboratório que, quando queimados, “os incensos libertam poluentes cancerígenos, como o benzeno e o formaldeído, além de substâncias muito irritantes, caso da acroleína”. E acrescenta a nota do estudo que “um pau de incenso, apenas, pode libertar tanto benzeno como cinco cigarros”.

Ainda segundo a DECO apesar do uso dos incensos “prometer um ambiente zen, polui fortemente o ar interior e, a ser usado, pelo menos, deve ser aberta uma janela”.

As velas que também foram testadas “libertam algumas destas substâncias, mas as concentrações são muito inferiores, podendo ser consideradas seguras”. Ainda assim, Antonieta Duarte e Sílvia Menezes recomendam algumas precauções “como o arejamento do local de utilização e a restrição do número de horas de exposição”.

O incenso é um produto composto por materiais aromáticos chamados bióticos, normalmente feitos à base de plantas. Quando queimados libertam fumo perfumado. O incenso refere-se à substância em si e não só ao cheiro libertado. Normalmente é usado em cerimónias religiosas, rituais de purificação, aromaterapias, meditação, para a criação de estados de espírito ou para mascarar um mau odor. O incenso começou a ser usado no antigo Egipto onde as resinas de goma e resinas oleosas de árvores aromáticas foram importadas das costas da Arábia e Somália para serem usadas nas cerimónias religiosas da época.

A DECO conclui o estudo e diz que “não basta que, após o nosso teste de 2013, a Comissão Internacional de Normalização tenha produzido normas a contemplar estes aspetos os legisladores têm de acordar e torná-las obrigatórias”. A DECO pede mesmo à ASAE que retire os produtos do mercado “por se tratar de produtos tóxicos, cujo perigo é reforçado pela ausência de informações fiáveis na rotulagem, exigimos que as autoridades os retirem do mercado”.

Jerónimo Belo Jorge

 

Incensos testados pela DECO:

  • Satya Sai Baba Nag Champa Cônes d’Encens (2,25 euros);

  • Satya Sai Baba Nag Champa Agarbatti Incense Sticks (2,25 euros);

  • Zara Home Encens (3,99 euros);

  • Eurescents Sensations (4,90 euros);

  • Green Tree 7 Chakras (1,95 euros);

  • Casa Escape Black Oudh (3,99 euros).

 

Velas testadas pela DECO:

  • Yankee Candle (13 euros);

  • Airwick Anti-tabaco (3,50 euros);

  • Kasa Vermelho (1,95 euros);

  • A Loja do Gato Preto Vela Verde (2,95 euros);

  • Arte Regal Vela Antiolor Ref. 28395 (2,49 euros);

  • Glade Relaxing Zen (3,99 euros);

  • Casa Wood Rustic (1,79 euros).