Pesquisar notícia
segunda,
20 set 2021
PUB
Sociedade

Abrantes: Passageiros do Abusa são maioritariamente idosos - "Deus queira que nunca acabe"

9/07/2018 às 00:00
Partilhar nas redes sociais:
Facebook Twitter

 “Abusa” é o nome dado ao serviço de transporte urbano implantado no Centro Histórico de Abrantes. Surgiu em março de 2014. O veículo não possui paragens nem trajeto definido. A rota é repetida a cada meia hora, mas pode demorar mais dependendo do trânsito, das pausas dos motoristas e das necessidades dos passageiros.

A maioria dos passageiros são idosos. Alguns têm dificuldades em andar longos percursos. Manuela Leitão é passageira frequente: "Eu uso o Abusa praticamente todos os dias, para mim é tudo."

Manuela Leitão

O miniautocarro branco com tons azuis tem capacidade para transportar 25 passageiros. Para além de 15 lugares sentados e de poder levar mais nove passageiros em pé, este transporte público abrantino é adaptado para passageiros de mobilidade reduzida, através de rampa de acesso, podendo transportar uma pessoa em cadeira de rodas.

Jorge Bento é um dos quatro motoristas que conduz o Abusa. Explica que a utilização é muito fácil, depende apenas da aquisição de bilhete:  "O Abusa é para quem quiser utilizar. Qualquer pessoa, sempre que quiser, pode utilizar o Abusa." A compra do bilhete pode ser feita no Gabinete Mais Rua, da Câmara Municipal, mas no próprio autocarro também se pode adquirir, junto do motorista.

No autocarro o bilhete inteiro tem o custo de 60 cêntimos e meio bilhete é a metade do preço. Os bilhetes pré-comprados no gabinete são 20 cêntimos ou 2 euros (se quiser optar pela compra de um bloco de 10 bilhetes), que é válido apenas para os residentes do centro histórico, pessoas com idade superior a 65 anos, com carência económica, portadores de deficiência e estudantes. Para os outros passageiros, o bloco que dá direito a dez viagens custa 4 euros.

Este tipo de transporte tem algumas particularidades. O ambiente entre motoristas e passageiros é já de alguma proximidade. Alguns dos passageiros são mesmo amigos de infância, o que faz com que as caras, os sorrisos e os olhares sejam os de sempre. A cumplicidade e a intimidade entre eles fazem parte das viagens. O entra e sai é contínuo, o motorista fica feliz com a agitação e a interação que paira no ar. Sem falar das conversas paralelas entre o motorista e os passageiros, que é contagiante.

“A gente conhece todos e todos eles são espetaculares. Os nossos 'chauferes' são maravilhosos, não pergunte qual deles é melhor, porque são todos muito bons” - diz a simpática passageira Maria Ribeiro. Relembra, juntamente com sua amiga Antónia Machado, o dia da inauguração do Abusa: “Antes era mais pequeno.”

Antónia Machado

Apesar de um dos objetivos deste transporte residir na rapidez, a calma reina. O motorista Jorge Bento explica: "Às vezes demoramos mais por causa da idade das pessoas, visto que 90% das pessoas que usam o Abusa são já idosas. Há pessoas que para entrar precisam de uma ajuda, e para descer também. Por isso, não temos horários fixos.” Para uma boa circulação e um ambiente descontraído, Bento explica que “é necessário o respeito mútuo”.

Jorge Bento

Para Maria do Carmo, o pequeno transporte “tinha que fazer uma volta maior, e além da cidade”. Já Maria Ribeiro acha tudo muito bom, “facilita muito, porque não temos carro. Eu uso o Abusa uma vez por dia. Uso às vezes para ir aos convívios. Compensa muito. Deus queira que nunca acabe.” Antónia Machado acrescenta: “o Abusa é maravilhoso”.

Todos os dias do ano

“Contribuir para facilitar a mobilidade, criar maior interligação com a rede urbana existente, melhorar a interligação com os parques de estacionamento e conferir aos cidadãos um modo de transporte rápido, económico, seguro e cómodo” foram os objetivos definidos pela Câmara Municipal de Abrantes para criar o Abusa.

Margarida Ferreira, a responsável pelo Gabinete Espaço Mais Rua de Abrantes, explica que o Abusa se insere numa estratégia de "procura de uma melhoria contínua das condições que o município pode oferecer aos seus munícipes, da qualidade social, estimular o uso de transporte coletivo em vez de um determinado transporte individual".

O pequeno meio de transporte público para em qualquer lugar e hora, desde que o passageiro faça sinal e este se encontre no seu horário de funcionamento. Aos dias úteis, entre as 8h00 até às 20h00, e aos fins de semana e feriados (incluindo o Natal e outros dias festivos) entre as 9h00 e as 15h00.

O trajeto tem início na Avenida dos Defensores de Chaves, percorre as ruelas pré-definidas pela Câmara, como o centro histórico, de modo a passar pelos locais onde é esperado haver mais utilizadores: o Hospital, a Biblioteca, a Esplanada, o Largo 1º de Maio, o Castelo, a Câmara Municipal de Abrantes, as Finanças, o Tribunal, a Unidade de Saúde Familiar, a Zona de Comércio Tradicional, a Ferraria, o Cineteatro São Pedro, a Sant’Ana, a Rotunda da Liberdade, a Av. 25 de Abril, a Rua de Angola, o Chafariz, a Praça Barão da Batalha, o Jardim da República, os Quinchosos, sendo alargado aos fins de semana e feriados, ao Cemitério de Santa Catarina e ao Parque Urbano de S. Lourenço.

 

Texto e fotos de Zetília Sebastião, aluna de Comunicação Social da ESTA