Abrantes: Julgamento de professora que matou o marido começa amanhã

Sociedade 2019-05-09

Começa esta sexta-feira, dia 10 de maio, no Tribunal de Santarém o julgamento de Margarida Rolo acusada de matar o marido, José Duarte, com 79 facadas e sete golpes de martelo, segundo o despacho de acusação do Ministério Público (MP). O crime foi cometido na residência onde o casal vivia com os dos filhos, de 11 e 14 anos, em Chainça, perto de Abrantes.

Sobre os motivos para o crime, o Ministério Público defende na acusação que havia desentendimentos na vida conjugal e que o facto do marido pretender o divórcio levava a que a mulher não se conformasse com a intenção.

Segundo a acusação, Margarida Rolo, de 43 anos, terá então engendrado um plano para matar José Duarte, de 51 anos, criando um cenário de eventual assalto à residência de ambos. O MP descreve no despacho a frieza, calculismo e a violência com que foi consumado o crime.

O despacho de acusação descreve ainda a forma como terá acontecido o crime, que terá começado com fármacos que provocaram sonolência no homem. Depois terá desferido uma série de marteladas na cabeça do marido. Como o homem não sucumbiu aos golpes de martelo a mulher terá então ido à cozinha e, munida de uma faca, terá desferido 79 facadas no marido.

Ainda segundo o mesmo documento, os gritos terão alertado os vizinhos que tentaram ir em socorro a ver o que se estaria a passar. A professora ainda tentou lavar os vestígios de sangue antes de aparecer na rua a pedir ajuda aos vizinhos para simular uma alegada tentativa de assalto à moradia.

A versão da arguida foi desmontada pela Polícia Judiciária que fez a sua detenção, tendo sido apresentada a primeiro interrogatório no Tribunal do Entroncamento, que decretou a prisão preventiva.

Margarida Rolo está acusada por ter cometido um crime de homicídio qualificado.