Pesquisar notícia
sexta,
17 set 2021
PUB
Sociedade

Abrantes: Javalis em “desconfinamento” avistados durante o dia junto à Pousada da Juventude (C/VÍDEO - ATUALIZADA)

22/06/2020 às 00:00
Partilhar nas redes sociais:
Facebook Twitter

Já não é a primeira vez que são avistados javalis nas zonas mais urbanas de Abrantes. Não é por isso novidade que as encostas de Abrantes, sobranceiras ao Tejo, onde é proibida a caça funcione como santuário para esta espécie.

A 21 de setembro do ano passado uma moradora na Rua General Humberto Delgado, em Abrantes, junto à Escola Secundária Dr, Manuel Fernandes foi à janela e viu os javalis a “passear” pela placa central da praceta. Uma fêmea com os filhotes atrás.

Pouco menos de um mês depois, a 12 de outubro, na relva dos separadores da Avenida Dr. Santana Maia, na descida para o Hospital de Abrantes, foram vistos novamente. Sempre de noite. Sempre uma fêmea com as crias por perto.

Mas este domingo foi em plena luz do dia que Inês Lopes viu dois javalis adultos acompanhados pelas crias. A meio da tarde deste domingo, a Inês descia a Avenida Sá Carneiro e, no entroncamento da avenida com a Aveninda Eng.º Adelino Amaro da Costa, junto à Pousada da Juventude de Abrantes avistou os animais. Teve tempo de agarrar no telemóvel e fazer o registo. E fez o registo daquilo que quase foi um acidente, com uma viatura de mercadorias (como se pode ver) a travar quase “em cima” dos animais.

Não se sabe a quantidade de animais que possam andar por estas paragens, em zonas onde é proibida a caça.

Na sexta-feira um javali atacou um cão

Na sexta-feira da semana passada, 19 de junho, um javali terá atacado um cão perto da encosta do castelo, na zona da Calçada de S. José. A denúncia é de Lurdes Gil que já fez questão de apresentar uma participação na PSP de Abrantes e enviou para o INCF, por email. 

Segundo contou à Antena Livre a situação não é nova e os animais têm-se deixado ver desde à um mês a esta parte. Mas na sexta-feira não entraram só na horta dos pais da Lurdes, pois atacaram um cão.

Lurdes Gil denunciou a situação na rede social facebook: “Andam javalis na encosta do Castelo de Abrantes. Desde há cerca de 1 mês e meio que andam a devastar a horta dos meus pais.
Mas hoje um javali adulto subiu a barreira até perto da casa e atacou o cão que ali estava. A cerca de 2 metros da casa e de outras casas em zona residencial. Como o cão se escondeu na casota investiu contra ela e o cão que foram pela barreira abaixo até que os gritos da minha mãe e vizinho e pedradas o afugentou. O cão sobreviveu mas está bastante ferido.
E se fosse uma pessoa?
Os meus pais que são idosos?
E os vizinhos?
E crianças?
Os javalis não andam só pela encosta do castelo... Foram feitos avistamentos em várias zonas da cidade. Há muitas zonas de mato para eles se esconderem”.

Agora, esta cidadã aguarda que as autoridades façam qualquer coisa, por os animais começam a andar “por aí” mesmo à luz do dia, coisa impensável há uns anos.

Fotos: Facebook de Lurdes Gil

Este tema foi já abordado numa Assembleia Municipal de Abrantes, no final do ano passado, tendo a Câmara sido questionada sobre a presença dos animais em zona urbana. Manuel Jorge Valamatos revelou, na altura, que não se deve sobrevalorizar estes avistamentos e que iria articular com as entidades responsáveis uma solução. A gestão da fauna nestas zonas da cidade pertence ao Instituto de Conservação da Natureza e das Florestas (INCF).

Ao que a Antena Livre conseguiu saber, na altura, poderia estar em curso um processo de gestão de densidade populacional da espécie através da caça, opção natural nas zonas rurais, mas que estaria fora de hipótese pela proximidade da zona urbana e de escolas.

Por outro lado, a Antena Livre conseguiu saber na altura, mas sem confirmação oficial, que o Instituto de Conservação da Natureza e Florestas já teria feito deslocar técnicos a esta zona para aferir, no terreno, a realidade da situação.

O certo é que os animais saem cada vez mais dos seus territórios e mostram-se igualmente muito à vontade com os humanos. “Perdem a vergonha”, como disse em setembro do ano passado Luís Damas, da Associação de Agricultores de Abrantes.

Habitat, alimentação e hábitos do javali

Encontra-se com frequência em bosques de folhosas e em áreas agrícolas que apresentam zonas onde se podem abrigar.

Frequentemente os indivíduos desta espécie refugiam-se em cavidades pouco profundas e no interior de manchas de vegetação densa.

Tal como o porco doméstico, o javali apresenta uma dieta omnívora, denotando, contudo uma preferência por alimentos vegetais como as bolotas, castanhas ou batatas. Outros alimentos que fazem parte da sua alimentação são pequenos vertebrados como os ratos, coelhos e até ovos ou invertebrados como minhocas ou larvas de insetos.

A progenitora é extremamente protetora e pode investir sobre qualquer ameaça à sua prole, inclusive contra o ser humano.

A sua atividade pode decorrer durante todo o dia sendo, mas os javalis são normalmente mais ativos ao crepúsculo e de noite.

Apresenta os sentidos de audição e olfato bastante apurados, bem como o paladar, chegando a distinguir diferentes qualidades de batata.

As javalinas normalmente geram três a 10 javardos, mantendo-se durante 1 semana no ninho para posteriormente se juntar ao grupo de fêmeas.

Fonte: Fonte: http://naturlink.pt

 

Notícias relacionadas:

Javalis à porta da Escola Dr. Manuel Fernandes em Abrantes

Abrantes: Novamente os javalis, agora “à porta do Hospital”