Pesquisar notícia
sábado,
25 set 2021
PUB
Sociedade

Abrantes: Escola D. Miguel de Almeida celebra 50 anos com momentos de partilha e de olhos postos no futuro

5/04/2019 às 00:00
Partilhar nas redes sociais:
Facebook Twitter

No âmbito das comemorações do cinquentenário da Escola Básica D. Miguel de Almeida (antigo Ciclo Preparatório de Abrantes), realizou-se ontem uma conferência subordinada ao tema “50 anos, a escola de ontem e a escola de hoje”.

O painel de convidados, antigos alunos e professores, deixaram bem presente algumas memórias e recordações daquela escola, que para muitos ainda é recordada com emoção, carinho e grande estima.

Carlos Grácio, professor do Agrupamento nº1, fez as honras e apresentou, perante um auditório cheio de alunos e professores, os diversos convidados que usaram da palavra para contar as vivências naquela escola.

Mas antes de passar a palavra aos convidados, Jorge Costa, diretor do Agrupamento nº1, agradeceu a presença de todos e afirmou que a escola estava de parabéns não pelo seu aniversário, “mas sobretudo pelo trabalho desempenhado ao longo destes anos”.

Dirigindo-se aos professores e auxiliares de ação educativa como “heróis”, o diretor disse que todos estavam “de parabéns pelo facto de perspetivarem no futuro um trabalho sério com os alunos”.

Jorge Costa, Carlos Grácio e alguns dos professores que fizeram parte dos 50 anos da história daquela escola.

De facto, esta escola e o Agrupamento não têm por hábito gastar a sua energia em folclore. Divulgamos muito pouco o trabalho que se desenvolve na escola, porque gastamos toda a energia nos trabalhos. E entendemos que é assim que devemos trabalhar, em prol dos alunos”, rematou.

Passou-se ao painel de convidados, sob a moderação do aluno Bruno Oliveira, que deu a palavra ao escritor abrantino e ex-docente daquela escola, José Alberto Marques.

Esta escola sempre foi uma escola de retidão”, vincou o escritor, acrescentando que o Ciclo sempre foi “uma escola muito moldável e moldada pelos professores que por aqui preconizaram todo um trabalho com as crianças para que pudessem fazer algo de novo”.

De seguida, foi a vez de Rui Morais, ex-presidente do conselho diretivo e docente da escola, que fez referência ao professor António Bandos. Um homem que sempre “teve um sorriso permanente. Sempre soube estar, conviver e participar nos problemas de uma forma muito própria e responsável”.

Também presente na cerimónia, Miguel Borges, presidente da Câmara Municipal de Sardoal, ex-aluno e professor da D. Miguel de Almeida, recordou os seus tempos de estudante e as peripécias da altura.

Hoje, quando entro aqui nesta escola, deparo-me com uma feliz coincidência em relação aos meus tempos de estudante, uma vez que andei aqui 4 anos (…) é que rasguei as calças (risos) E isto aconteceu-me muitas vezes em 1975/76”, confidenciou Miguel Borges, tendo salientado que aos dias de hoje “há uma diferença enorme: é que na altura quando chegava a casa tinha de dar satisfações. Hoje, acho que vou conseguir desenrascar-me melhor quando chegar a casa e o drama, certamente, não será tão grande como era na altura” (risos).

Voltar a esta casa, enche-me de alegria”, vincou Miguel Borges, justificando que a D. Miguel de Almeida “foi a escola dos afetos, das primeiras brincadeiras, do primeiro beijo no canto da sala de trabalhos manuais”.

Por sua vez, Manuel Jorge Valamatos, presidente da Câmara Municipal de Abrantes, também ex-aluno e professor da D. Miguel de Almeida, fez referência à escola, mas em concreto ao Desporto.

Referiu que “o desporto é uma coisa boa se for bem feito. Se for mal feito, é uma coisa má. As escolas são coisas boas se forem bem feitas (…) e a escola D. Miguel de Almeida é uma escola boa, que tem muita gente boa e profissional, a dar tudo”.

Durante estes 50 anos, houve sempre muitos professores e auxilares de ação educativa muito bons. Pessoas que sempre trataram da escola como se fosse a sua casa e que proporcionaram aos alunos as melhores condições de aprendizagem”, fez notar o autarca.

José Heleno, professor no Agrupamento nº1, fez referência ao pessoal docente e à paisagem que envolvia aquele equipamento escolar, que provocava uma “sensação de bem estar”.

Já Luís Albú Dias, ex-aluno e diretor geral da Antena Livre e do Jornal de Abrantes, dirigiu-se aos alunos e deixou alguns conselhos: “Pensem sempre numa possibilidade de voltar para a vossa terra, porque Abrantes, o concelho e a região, precisam de vocês”.

Nunca se esqueçam de estudar, de serem bons filhos e alunos e, portanto, bons profissionais no dia de amanhã. Uma tarefa que é cada vez mais exigente”, realçou o responsável.

Por último, Conceição Colaço, coordenadora da escola, agradeceu a todos os presentes, tendo recordado o quanto foi bem recebida na D. Miguel de Almeida há 28 anos.

Após os momentos de partilha, deu-se espaço à música com o Grupo de Cantares do Agrupamento de Escolas nº 1 de Abrantes e ao bolo de aniversário, que juntou alunos, auxiliares, professores e muitos outros, que irão sempre acarinhar aquele equipamento escolar.

Público presente 

Atuais instalações /Fotos Carolina Ferreira