Pesquisar notícia
segunda,
20 set 2021
PUB
Sociedade

Abrantes: Câmara quer candidatura do Rio Tejo a Património da Humanidade (C/ÁUDIO)

9/12/2020 às 17:20
Partilhar nas redes sociais:
Facebook Twitter

Foi hoje proposto, dia 9 de dezembro, na reunião de Câmara de Abrantes, a ideia de elevar o rio Tejo a Património da Humanidade. Uma proposta que já foi discutida até na Comunidade Intermunicipal do Médio Tejo onde, num outro projeto, poderá haver um conjunto de candidaturas para um estudo que possa levar à valorização das margens e do próprio rio Tejo. O presidente da Câmara de Abrantes, Manuel Jorge Valamatos, disse à Antena Livre que esta é uma ideia que já estava nos seus planos há algum tempo, nomeadamente devido à importância do Tejo e, por nos últimos dias, ter visto algumas “notícias sobre esta matéria, o que ressuscitou esta vontade de podermos de levar o nosso rio a uma projeção mundial. E obviamente com todas as consequências que isso advêm”.

Este é um desafio e um processo bastante demorado a ser consolidado devido à extensão internacional do maior rio da Península Ibérica. Porém, Manuel Jorge Valamatos referiu que “com boa vontade e empenho nós vamos conseguir. E caso não sejamos nós, diretamente, estaremos sempre ao lado para ajudar a construir esta forte possibilidade”. E expressou ainda que esta é uma “ideia ainda muito no início”, porém devido ao cargo de vereador com o pelouro do ambiente, que ocupou noutros mandatos, teve ligações a várias instituições e organizações onde “esta sempre foi uma matéria que teve alguma abordagem.”

Manuel Jorge Valamatos, presidente Câmara Municipal de Abrantes

Devido à grandeza da proposta e enquanto Abrantes, o presidente da Câmara deixou a ideia de estar disponível para liderar uma eventual candidatura, “mas queremos obviamente é estar a apoiar, a articular nesse processo.”

Este projeto e a ideia de liderar são duas coisas diferentes. Manuel Jorge Valamatos distinguiu os projetos e a ideia. “Uma questão é esta do rio Tejo como Património da Humanidade. Outra coisa, é um projeto que no âmbito da Comunidade Intermunicipal do Médio Tejo que vai ser desenvolvido e alicerçado nos seis municípios ribeirinhos, em que iremos desenvolver um projeto para a valorização do rio Tejo, das margens e da sua envolvência com as nossas comunidades”, explicou o autarca.

Este anúncio informal foi bem acolhido pelos vereadores da oposição, PSD e Bloco de Esquerda, que se mostraram disponíveis para colaborar neste processo. 

No sítio da internet do Ministério dos Negócios Estrangeiros encontramos a lista do Património Mundial de Portugal:

“A UNESCO adotou em 1972 a Convenção do Património Mundial, Cultural e Natural, que tem por objetivo proteger os bens patrimoniais dotados de um valor universal excecional.
Em 1976, foram criados o Comité do Património Mundial e o Fundo do Património Mundial, conforme determinado pelo texto da Convenção. Em 1979, foram feitas as primeiras inscrições de bens na Lista do Património Mundial. A Lista conta, em Junho de 2015, com 1007 bens inscritos em 161 Estados-parte na Convenção, sendo 779 bens culturais, 197 bens naturais e 31 bens mistos.
Portugal depositou o instrumento de ratificação da Convenção em 1980.

Lista do Património Mundial de Portugal

Angra do Heroísmo nos Açores
Jerónimos e Torre de Belém
Mosteiro da Batalha
Convento de Cristo
Centro Histórico de Évora
Mosteiro de Alcobaça
Paisagem Cultural de Sintra
Centro Histórico do Porto
Côa e Siega Verde
Floresta Laurissilva na Madeira
Centro Histórico de Guimarães
Alto Douro Vinhateiro
Paisagem Vinha da Ilha do Pico
Elvas e suas Fortificações
Universidade de Coimbra
Santuário do Bom Jesus do Monte em Braga
Real Edifício de Mafra - Palácio, Basílica, Convento, Jardim do Cerco, Tapada”