Pesquisar notícia
sexta,
24 set 2021
PUB
Sociedade

Abrantes: Câmara apoia movimento associativo com meio milhão de euros

21/03/2017 às 00:00
Partilhar nas redes sociais:
Facebook Twitter

A Câmara Municipal de Abrantes aprovou hoje, por unanimidade, as candidaturas às medidas 1, 3, 4 e 5 do FINAbrantes – Programa de Apoio a Coletividades do concelho, no montante global de cerca de 353 mil euros.

Para a Medida 1 – Cultura foram atribuídos 153.013,07 euros; para a Medida 3 - Juventude - 19.888,00 euros; na Medida 4 - Ação Social - 109.904,20 euros e na Medida 5 - Eventos - 70.244,76 euros. Foram 92 candidaturas aprovadas nas diferentes áreas.

Ao total deste montante soma-se a verba relativa ao apoio à atividade desportiva no concelho, no valor de 192.105,60 euros, cujos contratos-programa foram assinados com os clubes e outras entidades, em dezembro de 2016.

Em declarações à Antena Livre, Maria do Céu Albuquerque, presidente da CM de Abrantes, disse que o FINAbrantes de 2017 significa “mais de meio milhão de euros, para a promoção do desporto, da cultura, da juventude, dos eventos e de iniciativas de índole social, para o estímulo às nossas comunidades locais nas diferentes freguesias”.

A autarca abrantina disse haver um “esforço redobrado do Município, que aumenta cerca de 5% este orçamento para 2017”. O motivo, segundo a presidente, está relacionado com “o número de candidaturas que foram apresentadas e ao trabalho que temos vindo a fazer de incentivo para que os movimentos associativos apresentem mais e melhores candidaturas, e com isso possamos reforçar não só o papel do tecido associativo no nosso território, mas essencialmente o seu envolvimento com as comunidades locais em cada umas das freguesias”.

Questionada sobre a dependência financeira do movimento associativo ao FINAbrantes, a presidente afirmou que a Câmara “nota que há uma dependência, mas o próprio regulamento incentiva e obriga a que as entidades tenham fundos próprios, que vão à procura de outras fontes de financiamento, porque nós também não financiamos a 100% as iniciativas. Financiamos uma parte para que precisamente não haja uma dependência total e que haja um trabalho de envolvimento das instituições e das comunidades locais onde estes movimentos operam”.

“As próprias associações queixam-se de alguma burocracia associada, mas as exigências são cada vez maiores. São maiores quanto ao Município na atribuição que faz do subsídio” e “desde há uns anos a esta parte, nós temos um regulamento, temos prazos para apresentação de candidaturas, para a sua validação e para tornar público esses resultados com uma transparência que se impõe”, acrescentou.

Por último, Maria do Céu Albuquerque referiu que por parte da Autarquia “tem havido um acompanhamento muito grande [ao movimento associativo], tanto durante o período de submissão de candidaturas, como anteriormente para ajudar a encontrar forma das candidaturas serem apresentadas, como depois de a candidatura estar aprovada e o contrato assinado, na entrega dos relatórios intercalares e finais, para que todos possamos ficar salvaguardados”.

Segundo a informação do Município, “o FINAbrantes tem o objetivo de apoiar a manutenção das atividades realizadas pelas diferentes entidades nas áreas da cultura, desporto, eventos, juventude e intervenção social, de forma regular e diversificada, visto serem pilares fundamentais de coesão social e do apoio aos interesses e necessidades das comunidades locais”.

A Câmara Municipal irá anunciar para breve a data e o local da assinatura dos contratos com as associações concelhias.