Presidente de Torres Novas saúda regresso da cirurgia ao Hospital da cidade

Saúde 2017-03-28

O presidente da Câmara de Torres Novas congratulou-se hoje com a reabertura do Bloco Operatório do Hospital da cidade, que retomou as cirurgias para residentes e começa esta semana a receber doentes do Hospital de Santarém.

Pedro Ferreira deu uma conferência de imprensa hoje à tarde, para dizer que, além da parceria com o Hospital de Santarém – que vai usar duas salas do Bloco Operatório de Torres Novas enquanto decorrem obras nos deste hospital, previsivelmente até ao final do ano -, o Centro Hospitalar do Médio Tejo retomou a semana passada as intervenções cirúrgicas em Torres Novas.

“O Bloco Operatório (BO) do Hospital de Torres Novas estava há muito tempo sem funcionar apesar de estar operacional, por terem sido concentradas as cirurgias nas unidades de Abrantes e de Tomar (no âmbito da reorganização do Centro Hospitalar do Médio Tejo, que integra os três hospitais), o que deixava Torres Novas numa situação ‘coxa’”, disse o autarca à Lusa.

Pedro Ferreira afirmou que a cedência das salas ao Hospital Distrital de Santarém (HDS), enquanto decorrem as obras no seu BO, levou a que esta semana tenham chegado a Torres Novas 40 profissionais (entre médicos e enfermeiros de especialidades cirúrgicas, assistentes operacionais e administrativos) daquela unidade de saúde.

O retomar desta atividade cria “mais um polo de importante resposta nesta região”, disse, assegurando haver garantias por parte da administração do CHMT e da Administração Regional de Saúde de que o serviço se manterá mesmo depois de concluídas as obras no Hospital de Santarém.

“Quem sabe se alguns dos especialistas não optam por ficar em Torres Novas, criando aqui até um ponto de atração para outros profissionais”, afirmou.

O Hospital de Santarém lançou, no terceiro trimestre de 2016, os concursos públicos para as obras e apetrechamento do Bloco Operatório Central e do Bloco de Partos, prevendo a conclusão da obra para o final deste ano.

Na fase transitória, a atividade operatória do HDS tem sido garantida por dois blocos temporários para cirurgia eletiva e por três salas de cirurgia de ambulatório de que o hospital dispõe, passando agora a contar com as duas salas operatórias que equipou no hospital de Torres Novas e que utilizará até à abertura dos novos blocos operatórios.

O Hospital de Santarém tem igualmente ao seu dispor uma Unidade de Internamento com 28 camas no Hospital de Torres Novas, para utilizar de acordo com as suas necessidades.

As obras em curso no HDS, com um valor base de 5,5 milhões de euros totalmente suportados por fundos do próprio hospital, incluem a requalificação e ampliação de quatro para cinco salas do Bloco Operatório Central, permitindo um aumento de 25% da capacidade instalada.

Por outro lado, a requalificação, remodelação e modernização do Bloco de Partos irá permitir a criação de salas para dilatação e parto e sala operatória “com todas as condições para a mulher, acompanhante e profissionais”, segundo informações do HDS dadas à Lusa em novembro.

Além das obras, o projeto inclui o apetrechamento com sistema de AVAC (aquecimento, ventilação e ar condicionado) que responda às exigências e especificidades dos blocos e reapetrechamento técnico, tecnológico e de inovação.

Lusa