Médio Tejo: Serviços de Saúde pública alertam para cuidados a ter com o calor

Saúde 2018-08-02

De acordo com informação disponibilizada pelo Instituto do Mar e da Atmosfera (IPMA), uma onda de calor atingirá o Médio Tejo nos próximos dias. Trata-se de uma situação perigosa, uma vez que o excesso de calor provoca com frequência a desidratação e a descompensação das doenças crónicas, atingindo em especial as pessoas idosas, doentes ou acamadas. Para se evitarem as complicações associadas às ondas de calor, muitas vezes de enorme gravidade, ou até de morte, a melhor solução será afastar essas pessoas da causa do problema, isto é, assegurar a sua permanência em locais frescos e fazer com que bebam água suficiente para não desidratarem.

Assim, os serviços de saúde pública do Médio Tejo vêm apelar à população e em particular às famílias e amigos de pessoas que habitam casas sem condições de conforto, sem ventilação apropriada para fazer face a estas situações, que vivam sozinhas ou tenham por companhia pessoas em situação semelhante (idosos com doença crónica e acamados), que se disponibilizem para retirar essas pessoas dos seus locais habituais de permanência, nos dias de ocorrência desta onda de calor, repondo a situação anterior depois de terminado o fenómeno, caso não seja possível encontrar uma situação mais favorável para as pessoas mais desprotegidas.

Trazer um pai, um familiar, um amigo para a nossa casa durante um período (necessariamente curto) em que ele corre perigo de vida, ou assegurar que durante esses dias de calor ele permanecerá em lugares frescos e apropriados à sua condição de pessoa fragilizada, é um ato de solidariedade e cidadania que, estamos certos, ninguém recusará. E essa é a forma mais eficaz de combater as consequências nefastas das ondas de calor.

A manutenção da saúde de cada um de nós é uma responsabilidade coletiva. Ajude as pessoas em risco.

O Delegado de Saúde

Rui Calado

 

A Direção-Geral da Saúde recomenda a adoção de medidas gerais de prevenção destinadas à população em geral e medidas específicas para pessoas mais vulneráveis aos efeitos do calor, nomeadamente:

• Crianças nos primeiros anos de vida;
• Pessoas com 65 ou mais anos;
• Portadores de doenças crónicas;
• Pessoas que desenvolvem atividade no exterior, expostos ao sol e/ou ao calor;
• Praticantes de atividade física;
• Pessoas isoladas e em carência económica e social.    

Para se proteger dos efeitos negativos do calor intenso tenha em atenção as seguintes recomendações:

• Mantenha o corpo hidratado e fresco;
• Mantenha-se protegido do calor;
• Utilize protetor solar com fator igual ou superior a 30;
• Mantenha a casa fresca;
• Mantenha-se especialmente atento e proteja-se se tiver algum problema de saúde;
• Mantenha-se em contacto e atento aos outros;
• Mantenha-se informado 24 (808 24 24 24).