2018 com “a percentagem mais elevada de sempre” de cirurgias de ambulatório

Saúde 2019-10-12

O ano de 2018 registou “a percentagem mais elevada de sempre” de cirurgias de ambulatório no Serviço Nacional de Saúde (SNS), representando 65,5% do total de intervenções cirúrgicas, segundo um relatório divulgado esta sexta-feira.

O Relatório e Contas do Ministério da Saúde do Serviço Nacional de Saúde refere que em 2018 se realizaram mais de 375 mil intervenções cirúrgicas em ambulatório, o que representa um aumento de dois pontos percentuais relativamente a 2017.

Em 2000, estas cirurgias, nas quais os doentes não necessitam de ficar internados, representavam 10% do total destas operações, número que subiu para 49,5% dez anos mais tarde, 2010.

“Este resultado encontra-se em consonância com as boas práticas clínicas internacionais, sendo Portugal reconhecido pela Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE) como um caso de sucesso nesta matéria”, refere o documento publicado no ‘site’ da Administração Central do Sistema de Saúde (ACSS).

O relatório destaca também que a primeira consulta de especialidade hospitalar pedida através do programa Consulta a Tempo e Horas (CTH) registou um acréscimo de 0,1% em relação a 2017. Comparando com o ano de 2015, foi registado um aumento de 4,8%.

No total foram registados 1.775.618 novos pedidos de primeira consulta hospitalar no âmbito deste programa, refere o relatório, indicando que este aumento de procura se registou essencialmente nas entidades do SNS (+0,4%), “uma vez que houve uma redução dos pedidos de consulta no CTH para as entidades não SNS em 2018 (-3,7%)”.

(Lusa)