Pesquisar notícia
terça,
21 set 2021
PUB
Região

Vespa asiática: Dois ninhos destruídos no Pego e um detectado em Tramagal

18/09/2019 às 00:00
Partilhar nas redes sociais:
Facebook Twitter

A vespa asiática continua a dominar muitas atenções no norte e no centro do país e também na região de Abrantes. Esta semana o serviço municipal de Proteção Civil já tinha sido informado de um ninho em Vale de Rãs, em plena cidade de Abrantes, e outros dois na freguesia do Pego, todos eliminados na terça-feira. Esta quarta-feira teve novos avistamentos, que vieram a ser confirmados serem de vespa velutina e que ainda esta semana vão ser eliminados.

O ninho de Tramagal foi avistado na zona urbana da vila, na Rua de Angola, numa amoreira, em zona muito alta, como mostram as fotografias do Décio Dias. Cada vez mais são avistadas vespas asiáticas ou velutinas na região o que leva Inês Mariano, coordenadora da Proteção Civil de Abrantes, a deixar o alerta para que avisem o serviço quando detetarem um ninho.

O procedimento deverá ser avisar a Proteção Civil ou as forças da autoridade, PSP ou GNR, para ser confirmada a espécie e, posteriormente, a eliminação do ninho. Esta eliminação, de acordo com Inês Mariano, é feita com a colocação de inseticida no ninho que, em 48 horas, irá matar toda a colónia. Só depois o ninho poderá ser retirado. Ainda de acordo com a responsável da Proteção Civil os ninhos eliminados ficam sinalizados com uma fita no sentido de deixar a identificação de que foi exterminado. Segundo os especialistas, um ninho depois de exterminado não volta a albergar as vespas, pelo que as pessoas não devem temer que seja reativado. Inês Mariano já tinha referido que até ao início de setembro já tinham sido eliminados cerca de 40 ninhos de vespa velutina no concelho. Só esta semana já foram eliminados dois ninhos em Abrantes (um junto ao café Francês em Vale de Rãs e outro Bairro Catroga e Gaio), dois em Água das Casas (freguesia de Fontes), dois no Pego e agora este em Tramagal, que será eliminado ainda esta semana.

Também esta semana foi espalhado um panfleto na zona do Rossio ao Sul do Tejo a indicar a presença da vespa asiática, com indicações para contactar as autoridades ou a Proteção Civil de Abrantes. Nesse panfleto é referido que a Proteção Civil já tinha sido contactada e não tinha feito nada, nem sequer se tinha deslocado ao local. Inês Mariano revelou que os serviços se deslocam aos locais, onde se avistam os ninhos, mas que não quando apenas se avistam as vespas.

 Já que elas aparecem em todo o lado, é fundamental que os cidadãos tentem detetar a existência dos respetivos ninhos, embora por vezes possa ser difícil como de pode ver nas fotografias do ninho de Tramagal.

A vespa asiática chegou à Europa em 2004 e progrediu cerca de 100 quilómetros por ano. Foi detetada em Portugal em 2011 no norte do país. Neste momento atingiu o centro do país, tendo já ultrapassado o Tejo. Segundo os especialistas as vespas podem afastar-se até três quilómetros dos ninhos e, preferencialmente, constroem-nos em zonas altas, próximas de água ou de colmeias, já que são vespas carnívoras que comem as outras abelhas ou insetos. Mas já estão a ser detetadas em zonas urbanas e, alguns casos, em arbustos mais rasteiros. A vespa asiática diferencia-se poder ser toda preta, tendo apenas uma lista amarela no abdómen, e tem as patas amarelas.

No caso de avistar um ninho que suspeite ser de vespa velutina deverá seguir os seguintes procedimentos:

– contactar a GNR, através da linha SOS Ambiente e Território (808 200 520). Serão dadas indicações do procedimento a seguir para a efetiva comunicação da suspeita;

– contactar os serviços municipais de proteção civil ou a junta de freguesia mais próxima do local de deteção/suspeita. O Serviço Municipal de Proteção Civil (SMPC) só atua após a confirmação da localização do ninho de acordo com o descrito no “Plano de Ação para a Vigilância e Controlo da Vespa velutina em Portugal”.

– Em caso de presença de ninho suspeito, deverá ser feito o registo no portal Plataforma SOS Vespa (http://www.sosvespa.pt/web).

A destruição dos ninhos deve ser feita por técnicos habilitados para limitar a sua dispersão.

Em caso de picada deve deslocar-se imediatamente à unidade de saúde mais próxima.

Ninho de vespa asiática em Tramagal (Foto: Décio Dias - Photography)

Ninho de vespa asiática em Tramagal (Foto: Décio Dias - Photography)

Ninho de vespa asiática em Tramagal (Foto: Décio Dias - Photography)