Plano Especial de Emergência para Cheias na Bacia do Tejo foi desativado

Região 2019-12-23

O Comando Distrital de Operações de Socorro de Santarém informa, em comunicado, que “pela informação disponível, prevê-se a manutenção de descida dos caudais debitados pelas barragens, o que potencialmente contribuirá para uma descida dos níveis registados no rio Tejo”.

Assim, e atendendo às condições meteorológicas previstas para as próximas horas/dias, a Comissão Distrital de Proteção Civil de Santarém decidiu desativar o Plano Especial de Emergência para Cheias na Bacia do Tejo. O caudal do rio Tejo mantem a tendência de descida, para as próximas horas, “com uma razoável/aceitável estabilização”.

As barragens de Fratel, Pracana e Castelo de Bode têm debitado nas últimas 10horas valores de caudal médio, inferior a de 1000 m3/s no conjunto das barragens e a descer.

No entanto, mantêm-se algumas situações como alguns campos agrícolas inundados junto ao rio Nabão, no Município de Tomar.

Em Constância, mantém-se submerso 50 % do parque de estacionamento do Rio Zêzere bem como a Rua do Tejo.

Em Santarém, verifica-se a submersão da E.N. 365 em Ponte do Alviela, a submersão da E.M. que liga Ribeira de Santarém a Vale de Figueira e a submersão da E.N. 365-4 na Ponte dos Alcaides.

Já no Município da Golegã, continuam condicionadas a E.N. 365 – Pombalinho – Vale de Figueira, o CM1 – Golegã – Brôa, o CM 30 – Rabo dos Cágados e o CM 1 – Estrada dos Lázaros.

Em Coruche, o CM H entre Raposeira e Fajarda e a E.M. 1427 – Biscainho e Fajarda mantêm-se com condicionamentos.

No Município de Cartaxo/Salvaterra, a Ponte D. Amélia continua cortada devido ao aumento dos caudais no rio Tejo bem como continuam os condicionamentos na EN 3/2 – Ponte do Setil-Vale da Pedra.

Em Vila Nova da Barquinha, mantém-se a submersão do parque de estacionamento do Castelo de Almourol.

O CDOS de Santarém, com o apoio técnico da A.P. Ambiente, Associação de Regantes do Sorraia, EDP Produção, e o acompanhamento dos Serviços Municipais de Proteção Civil, Corpos de Bombeiros e restantes Agentes de Proteção Civil, continuará a monitorizar a situação hidrológica na bacia do Tejo e emitirá comunicados caso a situação o justifique.