Médio Tejo com mais 33 infetados e 693 recuperados (C/ ÁUDIO)

2021-02-12
Cartaz da campanha da Unidade de Saúde Pública do Médio Tejo
Cartaz da campanha da Unidade de Saúde Pública do Médio Tejo

Os casos ativos do Médio Tejo têm vindo a diminuir consideravelmente com a diminuição de novos infetados. Nesta sexta-feira vou a registar-se um número de novos casos de infeção abaixo da meia centena e com mais 673 pessoas a terem alta médica e poderem, por isso, voltar à normalidade das suas vidas, em tempo de confinamento.

De acordo com o relatório epidemiológico desta sexta-feira, há 33 novos infetados com SARS-Cov-2 registados pela Unidade de Saúde Pública do Médio Tejo em Abrantes (3), Alcanena (7), Constância (1), Entroncamento (9), Mação (1), Ourém (4), Tomar (7) e Vila Nova da Barquinha (1).

Quanto às vigilâncias ativas o número também tem vindo a descer gradualmente, sendo esta sexta-feira 337 pessoas que estão em isolamento profilático por terem tido contactos diretos com pessoas infetadas. Estes confinamentos estão localizados em Abrantes (45), Alcanena (51), Constância (6), Entroncamento (22), Ferreira do Zêzere (4), Mação (27), Ourém (77), Sardoal (6), Tomar (42), Torres Novas (51) e Vila Nova da Barquinha (6). No total a Autoridade de Saúde do Médio Tejo já colocou 6 540 pessoas em vigilância ativa e já concedeu alta a 6 215.

Esta sexta-feira há nova atualização de recuperados com mais 673 pessoas a terem alta da infeção provocada pelo SARS-Cov-2. As altas médicas estão registadas em Abrantes (78), Alcanena (45), Constância (8), Entroncamento (48), Ferreira do Zêzere (76), Mação (21), Ourém (48), Sardoal (9), Tomar (226), Torres Novas (99) e Vila Nova da Barquinha (15).
O número de óbitos na região continua a ser de 307 pessoas que perderam a vida com Covid-19 e, contas feitas, o Médio Tejo tem, nesta altura, 2 861 casos ativos.

Maria dos Anjos Esperança, coordenadora da Unidade de Saúde Pública do Médio Tejo, indica que estes números deixam alguma satisfação porque o confinamento está a resultar, fazendo com que os números sejam mais baixos. E havendo menos novos infetados, baixam as vigilâncias e os casos ativos, o que permite aliviar também a pressão sobre os profissionais da saúde.

No entendo a médica não tem dúvidas que a Páscoa vai ter de ter muitas restrições e não se pode repetir o mesmo que se passou no Natal. Esta é uma posição também defendida por Nuno Catorze, diretor da Unidade de Cuidados Intensivos do Centro Hospitalar do Médio Tejo.

No que diz respeito aos casos registados esta semana no Médio Tejo, e esta sexta-feira em concreto, não há, de acordo com a coordenadora da Unidade de Saúde Pública, surtos, tratando-se de casos comunitários, com exceção para Tomar onde surgiram alguns casos, não muitos, num lar de idosos.

Maria dos Anjos Esperança

Como estamos no fim-de-semana do Carnaval, e apesar de estarmos em confinamento, a Unidade de Saúde Pública divulgou nas redes sociais um cartaz com uma mensagem forte que aponta este período do ano e a pandemia em que vivemos. Um segundo cartaz aponta a uma imagem de ambulâncias à porta de um hospital. Ou seja, este devemos, diz a médica, de respeitar a 100% as indicações e guardar qualquer tipo de festejo desta época para 2022.

Maria dos Anjos Esperança

O ACES Médio Tejo abrange a área territorial de 11 municípios com cerca de 235 mil utentes. Abrange as unidades de saúde de Abrantes, Alcanena, Constância, Entroncamento, Ferreira do Zêzere, Mação, Ourém, Sardoal, Tomar, Torres Novas e Vila nova da Barquinha, numa área territorial de 2.706,10 Km's quadrados.