Pesquisar notícia
sábado,
18 set 2021
PUB
Região

Médio Tejo com mais 130 novos infetados e começam a aparecer casos de festas de Natal (C/ÁUDIO)

5/01/2021 às 19:47
Partilhar nas redes sociais:
Facebook Twitter

O Médio Tejo registou esta terça-feira mais 130 novos infetados com o coronavírus chegando a um total de 5233 infetados desde que começou a pandemia. Os casos desta terça-feira estão localizados em Abrantes (3), Alcanena (32), Constância (1), Entroncamento (13), Ferreira do Zêzere (11), Ourém (53), Tomar (8) e Vila Nova da Barquinha (9).

De acordo com o relatório epidemiológico da unidade de saúde pública do Agrupamento de Centros de Saúde do Médio Tejo há mais 22 recuperados no concelho de Ourém, aumentando o número total de recuperados na região para 3450.

No que diz respeito a vigilâncias ativas o Médio Tejo tem 994 pessoas em confinamento por terem contactado diretamente com infetados com o SARS-Cov-2. Estas pessoas estão em isolamento em Abrantes (84), Alcanena (91), Constância (15), Entroncamento (83), Ferreira do Zêzere (38), Mação (101), Ourém (182), Sardoal (10), Tomar (172), Torres Novas (197) e Vila Nova da Barquinha (21).

Maria dos Anjos Esperança, a coordenadora da saúde pública no Médio Tejo, já regressou ao trabalho depois do período em que esteve infetada com o coronavírus. A médica diz que “felizmente” os sintomas que teve foram ligeiros e apenas teve mais incidências no cansaço que sentiu alguns dos dias. E indica que as pessoas devem notar que se a maioria pode não ter grandes sintomas há outras pessoas em que as coisas poderão ser mais difíceis de ultrapassar.
Em relação aos casos que estão a surgir na região, Maria dos Anjos Esperança, diz que não há no dia de hoje surtos novos, com uma exceção de Tomar onde ainda está em investigação um conjunto de novas infeções. São casos de transmissão comunitária e alguns, afirmou a médica, já decorrentes de festas de Natal. E acrescentou que a saúde pública sabe que são casos de encontros de Natal porque são as investigações dos casos de dão esse conhecimento aos técnicos.

Maria dos Anjos Esperança

Mesmo com a chegada da vacina a médica diz que todos devem continuar a ser tomadas todas as medidas de proteção individual, porque a imunidade demora a chegar. E depois explicou o processo da toma da vacina. A segunda dose é administrada 21 dias depois da primeira e apenas 14 dias após a segunda dose é que o organismo cria os anticorpos necessários para a imunização em relação ao vírus.