Pesquisar notícia
quinta,
23 set 2021
PUB
Região

Empresários do Castelo de Bode apostam na certificação em defesa de um turismo mais sustentável

7/05/2020 às 00:00
Partilhar nas redes sociais:
Facebook Twitter

Numa ótica de antecipação ao futuro e “conscientes dos desafios de sustentabilidade ambiental que se perfilam”, alguns dos associados da Associação dos Empresários de Turismo do Castelo de Bode (AETCB), com atividade turística nas margens desta albufeira localizada no centro do país, estão a apostar fortemente na adaptação do seu modelo de negócio a uma economia verde e sustentável, como recomendado pelo quadro comunitário 2030.

Para isso, informa a Associação em comunicado, que alguns dos associados aderiram nos últimos meses à certificação "Biosphere Portugal". Trata-se de um projeto que assenta na implementação de práticas standard internacionais que conduzem a um Turismo sustentável e que se aplicam a toda a indústria do turismo como, por exemplo, unidades de alojamento, restauração, atividades de animação turística e outras.

Assim, os empresários do Castelo de Bode estão a adaptar aos seus negócios alguns modelos de gestão e desenvolvimento sustentável que já são dinamizados a nível internacional e que acabam por ser um referencial de boas práticas de turismo sustentável, tendo já participado em diversas sessões de trabalho que a Biosphere Portugal esta a levar a cabo para os empresários de turismo. 

Pela parte da Associação dos Empresários de Turismo do Castelo de Bode aderiram à certificação Biosphére as empresas Templar, Rotas e destinos Turísticos, LDA; Loja do Ribatejo Norte; Abreu Rodrigues, Empreendimentos Turísticos, lda - Villa Nova Nautic & Nature Hostel; Alventura; Segredos da Aldeia – Cabana do Rio (em Aldeia do Mato, Abrantes); Bernardo Spínola - ENI; Wakevilla; Francisco e Adelaide – Tasquinha ao Rio (Praia Fluvial de Fontes, em Abrantes).

Praia Fluvial de Fontes, no concelho de Abrantes (Créditos: AETCB)

Na nota enviada à redação da Antena Livre e do Jornal de Abrantes, assinada pelo presidente da Direção da AETCB, Jorge Rodrigues, é referido que o objetivo deste passo é o de “qualificar e capacitar individualmente as empresas - mas também todo território - incrementando a capacidade da oferta turística desta região, preparando-as para aquilo que já não só as novas tendências de mercado mas aquilo que já é uma realidade a nível de sustentabilidade”.

Este processo de capacitação e qualificação prolonga-se por 24 meses “de modo assegurar que as empresas se tornem mais competitivas e se consigam diferenciar por via da sustentabilidade”. Para além dos aspetos da sustentabilidade ambiental, os empresários ficam também dotados de ferramentas que lhes garantem uma gestão eficiente dos recursos.

Diz o presidente da Direção da AETCB que, apesar do projeto já estar em andamento, é ainda possível que mais empresas adiram a esta certificação “para que se consiga o objetivo de certificação do Castelo de Bode como destino sustentável, bastando entrar em contacto com a associação para esse fim”.