Combustíveis: Abrantes com pouco gasóleo e tudo normal na gasolina

Região 2019-08-09

A crise dos combustíveis está instalada no país e na região.

Esta tarde, entre as 15:00 e as 16:00, fomos dar a volta a todos os postos de abastecimento de combustível e tentar perceber quais os impactos do anúncio da greve dos motoristas de matérias perigosas, prevista para começar na segunda-feira, dia 12, às 00:00.

Dado comum, há gasolina em todas as bombas, pelo que é no gasóleo que está a maior procura e o maior défice nos postos.

Referir que a REPA (Rede de Emergência de Postos de Abastecimento) definiu as bombas do Pingo Doce e do Intermarché como fazendo parte da rede não prioritária, com venda de 15 litros por viatura a partir de segunda-feira, e a bomba da Galp, na Av. António Farinha Pereira, faz parte da REPA no abastecimento a veículos prioritários.

Na Galp de Abrantes, Av. das Forças Armadas, apenas dois automóveis a abastecer gasolina, uma vez que o gasóleo estava esgotado. Mesmo assim um cidadão enchia três jerricãs de combustível para levar para casa.

Comecemos pela Prio (Pingo Doce). Fila de dezenas de automóveis mas com o abastecimento normal, sem qualquer produto esgotado.

Passamos para Alferrarede, na BP a tarde está mais calma do que o habitual. Só há gasolina 95. As funcionárias não sabem quando haverá mais combustível. Por ali é a cafetaria que vai tendo algum movimento com as conversas a incidirem muito sobre a tão propalada greve dos mostoristas.

Do outro lado da Av. António Farinha Pereira fica a Galp, esta que faz parte da REPA a partir de segunda-feira. Também só há gasolina e, por isso, o movimento é muito mais reduzido do que o habitual. “Há gasolina e já não é muita”, garante um dos funcionários, acrescentando de imediato que “só temos as reservas das autoridades. A GNR já veio abastecer vários carros hoje”. Mas em relação ao reabastecimento dos depósitos da bomba não sabem dizer se, ou quando, vão passar os camiões.

Mais à frente, um salto à A23, nas áreas de serviço da CEPSA (em ambos os sentidos) não há qualquer limitação nos combustíveis. Mesmo assim parece haver mais movimento do que o habitual, mas também estamos em período de férias e, logo, há mais movimento nas estradas de ligação à Europa.

Voltamos a Abrantes. No Intermarché, na outra bomba da REPA, a partir de segunda-feira, também só há gasolina. O gasóleo esgotou há muito tempo e a entrada, a partir da Avenida António Farinha Pereira, estava vedada. O objetico: Impedir a criação de filas à entrada para o posto.

Ali um idoso que acaba de abastecer gasolina, pois gasóleo não há, deixa-se rir e diz: “Isto não vai dar em nada!” Ao mesmo tempo entra um outro cliente que pergunta: “Não há gasóleo?” A resposta pronta do funcionário: “Talvez só no Pingo Doce”.

Entre quem passa de carro e percebe que não há gasóleo e, nem sequer sai da viatura, perguntamos se vai haver reabastecimento. A resposta também é pronta. “Está previsto para as 7 da manhã”.

Seguimos a rota até Rossio ao Sul do Tejo e, na Auto Pirâmide, o mesmo cenário, com os cartazes de “Esgotado” bem visíveis nas bombas. “Só temos gasolina. Da 95”. E sem indicação se vai ou não haver reforço dos depósitos.

Por último da Alves Bandeira, na Av. D. João I, em Abrantes, a situação é a mesma. Cartazes bem visíveis a indicar que só há gasolina 95. O gasóleo também está esgotado.

Este é um cenário que por algumas informações que se vão vendo pelas redes socais será muito idêntico em toda a região, quando a greve está anunciada apenas para segunda-feira e com o governo a ter anunciado a Rede de Emergência Postos de Abastecimento e os serviços mínimos a par da declaração de emergência energética.

De referir que o governo ao decretar o estado de emergência energética definiu a lista das 374 bombas de combustível que integram a Rede Estratégica de Postos de Abastecimento (REPA).

No total de 374 postos, 54 vão estar reservados a veículos prioritários como a ambulâncias, bombeiros ou carros de transporte de valores. Os restantes estarão à disposição dos cidadãos mas o abastecimento estará limitado a 15 litros por viatura.

Na distribuição geográfica, a rede tem em conta o período de férias no Algarve e as regiões onde acontecem as colheitas agrícolas, como sejam a lezíria ribatejana.

Na nossa região, Abrantes tem três pontos de abastecimento: Pingo Doce e o Intermarché (não prioritários) e a Galp na Av. António Farinha Pereira (prioritários). Há mais postos da REPA em Tomar, Torres Novas, na Chamusca, em Ferreira do Zêzere, em Ourém, em Fátima, Nisa, na A23 as áreas de serviço do Fratel e na Sertã. Depois Santarém tem 4 postos na rede, Rio Maior, Cartaxo, Samora Correia e Coruche um posto em cada.

Os concelhos de Barquinha, Constância, Golegã, Entroncamento, Mação, Sardoal, Gavião, Vila de Rei e Ponte de Sor não têm nenhuma bomba na REPA.

Pode consultar aqui a lista dos postos da REPA e em janaodaparaabastecer.vost.pt saber se têm, ou não, combustível.

 

 

Coordenadas GPS rede REPA Abrantes:

 

Intermarché - 39°28'28.0"N 8°11'30.4"W

 

Pingo Doce - 39°27'56.3"N 8°12'22.5"W

 

Galp Alferrarede - 39°28'57.4"N 8°11'12.0"W