Pesquisar notícia
terça,
28 set 2021
PUB
Região

A meio do Estado de Emergência as contas dos novos casos de Covid-19 na região

1/12/2020 às 15:22
Partilhar nas redes sociais:
Facebook Twitter

A meio de mais um Estado de Emergência a Direção-Geral da Saúde publicou mais um relatório de situação no país e por concelhos, atribuindo as diversas cores consoante o escalão de contágios.
A regra continua a ser a mesma do Centro Europeu de Controlo de Doenças: 240 novas infeções por 100 mil habitantes nos últimos 14 dias. Depois há a matemática pura, goste-se ou não, da fórmula escolhida pelo governo para escalonar os concelhos.

A DGS explica que “A Incidência Cumulativa a 14 dias de infeção por SARS-CoV-2/ COVID-19 corresponde ao quociente entre o número de novos casos confirmados nos 14 dias anteriores ao momento de análise e a população residente estimada, por concelho, a 31 de dezembro de 2019, pelo Instituto Nacional de Estatística, IP. Habitualmente é expressa em número de casos por 100 000 habitantes.”

Assim tendo por base o relatório de incidência entre os dias 28 de outubro e 10 de novembro e o de 12 a 25 de novembro fizemos um quadro comparativo dos índices que temos nos concelhos da nossa região.

Refira-se que o governo definiu no Conselho de Ministros que criou as regras para o Estado de Emergência que está a vigorar desde 24 de novembro e que termina às 23:59 do dia 8 de dezembro regras diferentes consoante os níveis de contágio.
O nível 1 tem os concelhos com um índice inferior a 240 novos casos nos últimos 14 dias; o nível 2 para concelhos com índice de contágios entre 240 e 480 novos casos nos últimos 14 dias; o nível 3 para os concelhos que tenham um índice de contágio entre 480 e 960 novos casos nos últimos 14 dias; e o nível 4 para concelhos com um índice de contágio superior a 960 casos nos últimos 14 dias. Estes valores são revistos no Conselho de Ministros que define as medidas a tomar para cada renovação do Estado de Emergência.
Se o atual Estado de Emergência termina a 8 de dezembro, terça-feira da próxima semana) quererá dizer, tudo indica, que o presidente da República deverá ainda esta semana propor ao Parlamento a sua renovação por mais 14 dias. A ser assim o novo Estado de Emergência vigorará de 9 a 23 de dezembro.

Nesta semana, a meio do atual Estado de Emergência estas são as contas dos concelhos da região no que ao índice de novos contágios diz respeito.

De notar que os números de Abrantes parecem ter uma falha em relação aos relatórios da Unidade de Saúde Pública do Médio Tejo (102 casos entre 12-11 e 25-11) pelo que deveria ter este concelho um índice muito inferior ao que tem. Só não se sabe qual a distribuição dos 110 casos que não foram contabilizados nos relatórios diários (entre 6 a 19 de novembro). Sendo que alguns desses casos poderão estar contabilizados algures entre o dia 12 e o dia 24 de novembro. Ou seja, com este índice de 418 novos infetados, Abrantes teria de ter de 145 casos e não os 102 que estão “oficialmente” contabilizados pelos boletins diários. Mas, como referido, não temos a informação da distribuição, por dia, dos 110 casos que não tinham, erradamente, sido contabilizados de 6 a 19 de novembro. OU seja, alguns podem "andar por ali entre 12 e 19 de novembro" e, desta forma, contribuir para o índice 418 em que o concelho de Abrantes se encontra, mas mesmo assim num nível abaixo daquele que está a viver no atual Estado de Emergência.

Este é o quadro intermédio da DGS:

       
Concelhos 28-10 a 10-11   12-11 a 25-11
Abrantes 404   418
Alcanena 336   1109
Constância 323   447
Entroncamento 195   320
Gavião 184   1440
Mação 48   303
Ourém 470   549
Ponte de Sor 333   167
Proença a Nova 685   370
Sardoal 294   829
Sertã 151   103
Tomar 223   321
Torres Novas 212   281
Vila Nova Barquinha 174   415
Vila Rei 60   60

* Índice de 240 casos por 100 mil habitantes nos 14 dias referidos nas colunas

* Dados públicos da DGS