Presidenciais: Marcelo Rebelo de Sousa reforça votação e é reeleito Presidente da República (C/ ÁUDIO)

2021-01-25

Marcelo Rebelo de Sousa foi reeleito Presidente da República nas eleições de domingo, com 60,70% dos votos, segundo os resultados provisórios apurados em todas as 3.092 freguesias.
Marcelo Rebelo de Sousa, ganhou a votação deste ano em todos os concelhos do país, sendo o primeiro a conseguir esse feito.
Presidente da República, declarou-se “profundamente honrado” pela confiança manifestada pelos portugueses em condições tão difíceis, lembrando no início do seu discurso os mortos com covid-19.

Com um discurso de vitória mobilizador para a prioridade absoluta que é a pandemia, o Presidente avisou, no entanto, que vai saber “tirar ilações” do reforço de confiança que sentiu dos portugueses.
Marcelo Rebelo de Sousa, de 72 anos, expressou o desejo de ser o "presidente de todos e de cada um dos portugueses”, e não “dos bons contra os maus".

O Presidente da República reeleito defendeu também a necessidade de uma revisão legislativa antes de novas eleições, “daquilo que se concluiu dever ser revisto”, e também para que se possa avançar com a possibilidade do voto por correspondência.

No seu discurso de vitória, Marcelo Rebelo de Sousa, defendeu que os portugueses mostraram nestas eleições presidenciais que rejeitam o extremismo e prometeu estabilizar e unir o país.

Marcelo Rebelo de Sousa assinalou ainda como primeira missão “o combate à pandemia".

No final, o presidente reeleito afirmou que o facto de o Presidente da República ser de um grupo de risco, simboliza a unidade do combate comum.

Marcelo Rebelo de Sousa foi este domingo reeleito Presidente da República. O atual presidente conquistou 60,76% dos votos (2.519.599 votos) com uma vitória esmagadora em todos os distritos do País.


A candidata presidencial Ana Gomes assumiu ter falhado hoje o objetivo de uma segunda volta nas presidenciais, mas diz ter cumprido o “objetivo patriótico” de impedir que a ultradireita assumisse uma posição de “possível alternativa”.

A candidata disse já ter telefonado a Marcelo Rebelo de Sousa a felicitá-lo pela sua reeleição.

Já o candidato presidencial André Ventura anunciou a demissão de presidente da direção nacional do Chega, após ter ficado atrás da sua adversária Ana Gomes e cumprindo assim uma promessa eleitoral.

O líder do partido da extrema-direita parlamentar tinha-se proposto ficar à frente dos concorrentes da esquerda (Ana Gomes, Marisa Matias e João Ferreira), alcançando assim o segundo posto e, eventualmente, obrigar o incumbente Marcelo Rebelo de Sousa a uma segunda volta eleitoral.
André Ventura, avisou ainda o homólogo do PSD, Rui Rio, sobre o peso eleitoral reforçado do partido, ao ultrapassar as candidaturas comunista e bloquista, assumindo-se já como líder da terceira força política nacional.


Dos 308 concelhos, Ventura estabeleceu-se como segundo em 204.
Segundo os dados da Secretaria-Geral do Ministério de Administração Interna - Administração Eleitoral, Ana Gomes foi a segunda candidata mais votada, com 12,97%.
André Ventura conseguiu 11,9% dos votos dos portugueses, ficando na terceira posição, à frente de João Ferreira, com 4,3%, Marisa Matias, que obteve 3,9%, Tiago Mayan Gonçalves com 3,2% e Vitorino Silva com 2,4% dos votos.
A abstenção nas eleições presidenciais deste domingo foi de 54,5 por cento no território nacional, a mais elevada de sempre em sufrágios para a escolha do chefe de Estado.
Nestas eleições em contexto de pandemia, votaram 4,2 milhões de eleitores, menos de metade dos 9,3 milhões de inscritos no território nacional.

A disputa pelo segundo lugar
De referir que a luta esteve renhida ao longo de toda a noite, mas Ana Gomes venceu André Ventura no combate pelo segundo lugar nas presidenciais, com uma distância expressiva no distrito do Porto e marginal em Setúbal.
Ana Gomes venceu André Ventura nos distritos do litoral continental, com exceção de Leiria, mas o candidato do Chega ganhou o interior. Quanto às ilhas, Ana Gomes conquistou o segundo lugar nos Açores, André Ventura na Madeira.

O candidato apoiado pelo Chega, André Ventura, ficou em segundo lugar nas eleições de domingo em 11 dos 18 distritos de Portugal Continental e na Madeira, embora nos resultados globais ocupe o terceiro lugar.
Em terceiro lugar nos resultados globais, (11,9%), representando o voto de 496.583 eleitores, André Ventura ficou em segundo lugar em todos os distritos do Interior, de Norte a Sul.
Leiria foi o distrito onde o candidato do Chega obteve a menor votação(12,5%) e Portalegre aquele onde conseguiu a maior percentagem de votos (20,04%)
André Ventura garantiu ainda o segundo lugar em Vila Real, Bragança, Viseu, Guarda, Castelo Branco, Santarém, Évora, Beja e Faro.

C/ Lusa