Pesquisar notícia
sexta,
24 set 2021
PUB
Política

Autárquicas/ Mação: Vasco Estrela recandidata-se pelo PSD e garante que não vai mudar nem desertar (C/ Áudio)

26/07/2021 às 19:58
Partilhar nas redes sociais:
Facebook Twitter

Este domingo, 25 de julho, o PSD de Mação apresentou a recandidatura de Vasco Estrela, que se candidata a um terceiro mandato à frente da Câmara Municipal de Mação.

A cerimónia de apresentação dos candidatos do PSD a todos os órgãos autárquicos do concelho teve lugar no Jardim Municipal e contou com as presenças de Isaura Morais, vice-presidente do PSD, e de Francisco Gaspar, coordenador autárquico distrital.

E foi Francisco Gaspar que iniciou os discursos da tarde, referindo-se aos resultados alcançados há quatro anos, quando o PSD reforçou a maioria em Mação e teve uma das taxas de abstenção mais baixas do distrito. O coordenador autárquico considerou que “foi um reconhecimento do trabalho”, falou do candidato Vasco Estrela como “um autarca de referência” e não se escusou a pedir os cinco mandatos que compõem a totalidade do Executivo Municipal. “Era um sinal que passava de que está a ser feito um excelente trabalho e que o Vasco e a sua equipa são autarcas de referência e que trabalham com muito gosto”.

Francisco Gaspar, coordenador autárquico distrital

 

Diogo Wahnon volta a encabeçar a lista candidata à União de Freguesias de Mação, Penhascoso e Aboboreira e falou em representação de todos os candidatos às Juntas de Freguesia do concelho, destacando o número de jovens que compõem as listas. Caraterizam-se como “candidatos de poucas promessas mas de assumir compromissos” e pediu que “acreditem em nós para que possamos mostrar aquilo que valemos e que sabemos que valemos”.

 

Diogo Wahnon, candidato à União de Freguesias de Mação, Penhascoso e Aboboreira

 

Para encabeçar a lista à Assembleia Municipal não houve surpresas. José Saldanha Rocha volta a ser o candidato social-democrata e disse ser “uma honra e um orgulho poder fazer parte deste universo de boa gente”. “Inevitavelmente”, acrescentou, “todos nós temos brio na equipa autárquica que hoje aqui propomos para mais quatro anos”. Destacou o “rigor, seriedade e a sensibilidade que eles demonstraram ao longo dos tempos para as mais diversas áreas que nos rodeiam”, dizendo que essas características “trazem-nos paz de espírito” e que “é bom” ouvir pessoas de fora de Mação a falar “de nós com respeito, com admiração e com boas referências pelo trabalho que tem vindo a ser desenvolvido no concelho com esta equipa”.

 

José Saldanha Rocha, candidato à Assembleia Municipal de Mação

 

Isaura Morais, vice-presidente do PSD e deputada eleita pelo círculo de Santarém, agradeceu o convite e reconheceu a relação de amizade que, ao longo dos anos, ambos autarcas, foi construindo com Vasco Estrela. “Estou num concelho que tem reconhecido o trabalho que o PSD tem feito e se é verdade que temos passado, também queremos continuar a ganhar o futuro”, afirmou.

Isaura Morais disse ter “no Vasco o melhor daquilo que hoje nós temos na política e nas autarquias” e referiu “o reconhecimento que eu tenho da sua forma de ser e de estar, da forma como defende este vosso território e como vos defende a vós, é para mim uma referência e sempre o foi”.

 

Isaura Morais, vice-presidente da Comissão Política do PSD 

 

“Tem sido uma honra gerir o concelho” - Vasco Estrela

Sob o slogan “Fazer com Todos”, Vasco Estrela, 50 anos, advogado, é então novamente candidato a líder do Executivo Municipal da Câmara de Mação.

Na sua intervenção, teve uma palavra para os restantes candidatos e, falando da equipa que o acompanha na lista para a Câmara, lembrou que “os cinco primeiros nomes foram os que sempre fizeram parte das listas desde 2013 e temos todas as condições para nos mantermos em conjunto para levarmos por diante este projeto”.

“Apresento-me a este terceiro mandato com a consciência plenamente tranquila do trabalho que foi desenvolvido. (…) Tem sido uma honra gerir o concelho durante estes oito anos e tem sido uma honra ter conseguido trabalhar com todos, em conjunto”.

Quanto às listas para as Juntas de Freguesia, revelou ter sido “extraordinariamente fácil fazermos todas as listas, reunirmos um número de pessoas suficientes – bem mais do que era necessário – o que demonstra muito bem a vitalidade do nosso projeto e, mais do que isso, demonstra muito bem o futuro que este Partido e este projeto têm no concelho de Mação”.

“Parto para o meu último mandato autárquico mas não é por isso que deixo de ter a mesma ambição, a mesma força de vontade e o mesmo entusiasmo para trabalhar em prol do povo deste concelho e para o desenvolvimento deste concelho. A mesma ambição, o mesmo compromisso e o que podem esperar de mim é aquilo que sempre esperaram. Alguém que quase sempre cumpre com a sua palavra, alguém que está próximo das pessoas, que não promete o impossível e que não anda de porta a porta a vender ilusões. Alguém que defenderá, até ao último pingo de suor, os interesses do concelho de Mação”, garantiu.

Para aqueles “que serão os nossos adversários nestas eleições”, Vasco Estrela deixou “uma palavra de respeito, de admiração por concorrerem a umas eleições autárquicas num período tão difícil onde as pessoas não se querem meter na chatice da política”.

Vasco Estrela fez um balanço dos últimos quatro anos que caracterizou de “mandato extraordinariamente difícil” e que “nunca pensei ter de exercer”. Lembrou os incêndios no verão de 2017, os processos contra o Estado Português, o incêndio de 2019, a depressão Elsa, a pandemia de Covid-19, os relatórios da IGAI (Inspeção Geral da Administração Interna) e da Comissão Independente dos Incêndios. “Infelizmente, tivemos que ir para a justiça para recebermos aquilo que era nosso por direito próprio, algo perfeitamente impensável”, recordou.

 

 

“Serei um presidente de Câmara extremamente previsível”

No seu discurso, o candidato falou de tempos “extraordinariamente difíceis” para os próximos anos “mas, ao mesmo tempo, um tempo desafiante e um tempo que requer ambição, requer saber e requer querer”.

“Temos projetos para concluir, temos obras para fazer, temos apoios sociais para intensificar, temos empreendedores que merecem ser apoiados, temos uma paisagem, um território e uma floresta que vai finalmente ter o tratamento que merece”, avançou Vasco Estrela, referindo os programas Portugal 2030 e o Plano de Recuperação e Resiliência. “Teremos, de facto, de arregaçar as mangas e trabalhar e perceber que o que há para fazer é muito”, disse, lembrando que a partir de março de 2022, “quer queiramos, quer não”, haverá descentralização de competências para as autarquias nas áreas da educação, saúde, cultura e ação social.

Em caso de vitória, assegurou que “será um mandato tão ou mais atribulado e trabalhoso do que este foi”.

Só na floresta, “vamos ter 20 mil hectares para gerir” e lembrou que esta “é mesmo a última e a única oportunidade para concretizar aquilo que andamos, que ele [António Louro] a dizer há mais de 15 anos”. Neste âmbito, “vai ser um esforço dantesco e que exigirá o compromisso de todos mas mesmo de todos. Aqui, temos mesmo de fazer com todos”, asseverou, lembrando o slogan da campanha.

Mas não é só a paisagem e a floresta que vão exigir atenção, pois “temos muito para fazer na ação social, na educação e na cultura, no desenvolvimento económico, na regeneração urbana e na modernização administrativa da nossa Câmara Municipal que também precisa”. Contudo, afirmou que esta ainda “não é a altura de elencar projetos concretos mas já vos deixei pistas do que serão as nossas prioridades daquilo que entendemos que vai ser importante para termos um concelho mais desenvolvido para o futuro”.

Vasco Estrela mencionou o facto de “algo que está a mudar” pois “há mais gente nos nossos territórios”, efeitos da pandemia, e “temos que nos preparar para receber essas pessoas sem esquecer aquilo que é a nossa raiz cultural e a nossa matriz rural”, defendendo projetos transversais no turismo.

Apelou a uma participação forte nas eleições, lembrou que em democracia não há vitórias antecipadas e pediu apoio aos candidatos às Juntas de Freguesia.

No final, prometeu que “enquanto for presidente da Câmara Municipal de Mação, cumprirei na íntegra as minhas funções. Não vos irei desiludir nem irei desertar enquanto for presidente da Câmara Municipal de Mação”.

Prometeu ainda ser “um presidente de Câmara extremamente previsível” pois, como revelou, “a minha forma de trabalhar que iniciei em 17 de outubro de 2013, será a mesma que irei manter para o próximo mandato”.

Vasco Estrela, candidato do PSD à Câmara Municipal de Mação 

 

Os candidatos

Na lista para a Câmara Municipal, para além do cabeça de lista Vasco Estrela, estão António Louro, Margarida Lopes, Vasco Marques, Luís Mário Marques, Tânia Pires, Ana Rita Basso, Jorge Dinis, Francisco Correia e Clara Minhoto.

A lista da Assembleia Municipal continua a ser encabeçada por José Saldanha Rocha e, quanto às freguesias, Carlos Leitão recandidata-se a um terceiro e último mandato à frente da Junta de Freguesia de Cardigos. Diogo Wahnon volta a encabeçar a lista à União de Freguesias de Mação, Penhascoso e Aboboreira.

À Junta de Carvoeiro, com Nuno Bragança a atingir o limite de mandatos, é candidata Carla Martins.

Em Envendos, concorre Raul Simões de Matos e à Junta de Ortiga, é candidato Rui Matos.

O PSD de Mação não vai apresentar candidato à Junta de Freguesia de Amêndoa visto apoiar a candidatura independente de Luís Lopes, atual presidente da Junta e que, em 2017, foi eleito nas listas do PS.

O mandatário da candidatura do PSD em Mação é José António Belo, aposentado, presidente da Direção da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Mação e membro da Mesa Administrativa da Santa Casa da Misericórdia de Mação.

Galeria de Imagens