Autárquicas: ALTERNATIVAcom apresenta Artur Marques como mandatário para a diáspora

2021-03-19

Artur Marques é o Mandatário do movimento ALTERNATIVAcom para a Diáspora, ou seja, “para a representação de todos os abrantinos dispersos por Portugal e pelo Mundo, qualquer que tenha sido a motivação ou a necessidade de partirem”, explica o movimento em comunicado.

Lê-se ainda que o movimento ALTERNATIVAcom “valoriza a ligação e os contributos que estes nossos conterrâneos podem e devem dar a Abrantes, sua terra natal ou adotiva, esperando que um dia tenham condições para regressar, se for essa a sua vontade”.

Artur Marques apresenta-se na primeira pessoa e são estas as suas palavras, que transcrevemos na íntegra:

«Pedem-me que escreva sobre mim. Que coisa difícil! É sempre mais fácil escrever sobre os outros. Chamo-me Artur Marques e muitos em Abrantes conhecem-me como “O filho do Artur 14”. Celebrei em janeiro meio século de vida, com a humilde festa possível. Estudei Relações Internacionais e Comunicação Social.

Nasci em Abrantes, onde sempre vivi, onde nasceram os meus filhos e onde trabalhei e fiz amigos. Até ter saído para embarcar numa viagem rumo aos meus sonhos. Depois de 20 anos de vínculo com a Câmara Municipal, entendi que estava na hora de mudar. Tinha necessidade de me voltar a sentir vivo, de lutar por algo melhor, que me realizasse profissional e pessoalmente.

Decidi, então, assumir de forma definitiva a minha essência: ser actor e um artista mais completo. Por variadas razões, nunca me tinha obrigado a perseguir esse objectivo como algo que significaria uma mudança radical na minha vida. Até que esta me deu o empurrão que necessitava e acredito que nada acontece por acaso.

Assim, em 2016, fiz as malas e parti rumo a Londres para aquela que seria mais uma aventura pontual. Londres é a Meca do Teatro Musical na Europa e fazer o principal papel masculino num espectáculo, em terras britânicas, perfilava-se como um sonho tornado realidade. Mas, ao fim de 6 meses, as saudades matavam. As lágrimas do meu filho mais novo, no dia em que entrei no Expresso rumo a Lisboa para apanhar o avião, assombravam-me.

Todos os que, como eu, partem, deixando os amigos e a família para trás, entendem o que digo. Recordo o dia em que decidi regressar: passava junto a um edifício da localidade onde residia quando senti o cheiro de azélias. Imediatamente, todos os meus sentidos fizeram-me viajar no espaço (e no tempo, também), para 2.000 kms de distância até à Avenida 25 de Abril e à casa dos meus pais.

Uma lágrima percorreu o meu rosto. Eu tinha de voltar a Portugal. Mas já não havia regresso possível à terra que me viu nascer e crescer. Os meus sonhos tinham passado a dominar e as oportunidades de trabalho mantiveram-me em Lisboa até hoje.

Sempre fui um sonhador e tenho conseguido concretizar alguns a nível profissional, significativos, que me enchem de coragem para continuar. Tenho orgulho em dizer que sou actor. Pisei os palcos do Rivoli, do Politeama, da Malaposta, do Casino do Estoril e tantos, tantos outros.

Chamam-me regularmente para participações em telenovelas e séries. Faço dobragens de animação e sinto-me honrado por poder dar aulas na única escola de Teatro Musical em Portugal e, dessa forma, passar tudo o que sei às novas e talentosas gerações.

E no meio disto tudo, o meu mais importante papel: ser pai dos meus quatro filhos maravilhosos!

E porque é mais fácil falar dos outros, quero apenas dizer que é um enorme prazer representar todos os que partiram da nossa terra em busca de um futuro melhor, associando-me a este movimento de gente tão boa e capaz. Gente que poderá ajudar a construir uma terra de onde as pessoas não tenham de sair por falta de oportunidades, mas apenas porque é esse o seu desejo.

Abrantes é a minha terra, que amo e onde estão as minhas raízes. Uma terra que precisa de se reerguer e reencontrar para tomar o seu lugar na região. Basta subir à torre de menagem do castelo, fechar os olhos e deixar acontecer a imaginação, sentindo o peso da nossa história.

Os abrantinos merecem respirar vida e vitalidade. Nada me move contra ninguém. Apenas a favor de uma nova Abrantes, que precisa urgentemente de renascer sob pena de se extinguir de vez. Porque Abrantes também sonha!» - Artur Marques