Governo investe 180 ME na valorização de áreas empresariais

2017-02-07

O Programa de Valorização das Áreas Empresariais, que é hoje apresentado, prevê um investimento de 180 milhões de euros, dos quais 102 milhões em acessibilidades rodoviárias e 78 milhões na criação e expansão de zonas empresariais.

De acordo com um documento do gabinete do ministro do Planeamento e das Infraestruturas, Pedro Marques, a que a agência Lusa teve hoje acesso, o programa abrange as regiões Norte (112 ME), Centro (50 ME) e Alentejo (18 ME) e prevê investimentos até 2021.

As infraestruturas e equipamentos para a criação e expansão das áreas empresariais visam, segundo o Governo, reforçar a competitividade das regiões de convergência, melhorar as condições de instalação das empresas nas áreas em que existe falta de espaços de implantação empresarial, potenciar a criação de emprego e aumentar as exportações, entre outros.

Por outro lado, o investimento nas acessibilidades de 12 áreas empresariais já existentes, realizado maioritariamente com orçamento da Infraestruturas de Portugal, tem como objetivo reduzir o tempo de percurso até à rede estruturante, facilitar o acesso aos portos e à fronteira, fomentar o crescimento económico e a captação de novos investimentos e aumentar a circulação rodoviária.

Os critérios para este investimento passaram pela redução do tempo de percurso, o custo por quilómetro e a dimensão do tecido empresarial.

Por regiões, o Norte, no eixo das acessibilidades rodoviárias, terá oito intervenções (seis construções e duas requalificações), num total de 39 quilómetros de extensão, o que representa um investimento de 82 milhões de euros. Para a criação e expansão de áreas empresariais estão reservados 30 milhões de euros.

Na região Centro estão previstas duas intervenções rodoviárias (uma requalificação e uma construção nova) na extensão de 21 quilómetros, o que representa um investimento de 15 milhões de euros. Para as áreas empresariais, o investimento ascende a 35 milhões de euros, o mais elevado entre as três regiões.

No Alentejo está previsto um investimento de 13 milhões nas áreas de acolhimento empresarial e cinco milhões para as acessibilidades, estando contempladas uma requalificação e uma construção, num total de cinco quilómetros.

O investimento mais elevado em acessibilidades, 26,2 milhões de euros, está previsto para a construção de uma ligação entre o Parque de Negócios de Escariz à autoestrada 32 (A32), abrangendo os concelhos de Arouca, Santa Maria da Feira e Oliveira de Azeméis, no distrito de Aveiro.

O Programa de Valorização das Áreas Empresariais é apresentado hoje à tarde, no Entroncamento, distrito de Santarém, numa cerimónia que conta com a presença do primeiro-ministro, António Costa, e do ministro do Planeamento e das Infraestruturas, Pedro Marques.

O programa foi anunciado pelo primeiro-ministro a 27 de janeiro, durante o debate quinzenal na Assembleia da República.

António Costa revelou que o investimento será realizado com recurso a fundos nacionais e visa "garantir que as empresas podem beneficiar das infraestruturas", melhorando assim "as condições de competitividade".

Lusa