Pesquisar notícia
terça,
28 set 2021
PUB
Política

Autárquicas/ Abrantes: Sónia Pedro avança pelo ALTERNATIVAcom à Freguesia urbana de Abrantes e Alferrarede

9/06/2021 às 08:23
Partilhar nas redes sociais:
Facebook Twitter

Sónia Pedro, de 43 anos de idade, natural de Abrantes, é a candidata do movimento ALTERNATIVAcom à União das Freguesias de Abrantes e Alferrarede. A Antropóloga, com licenciatura da Faculdade de Ciências e Tecnologias da Universidade de Coimbra, teve como trabalho final de investigação a Museologia, mais especificamente ao Ecomuseu da Barragem de Castelo do Bode (localizado em Martinchel): “Mercadorizar o Ecomuseu. O Turismo como Estratégia de Desenvolvimento”.

Sónia Pedro regressou ainda a Coimbra para concluir o Mestrado na área da Sociologia, mais especificamente em “Cidades e Culturas Urbanas” na Faculdade de Economia.

Esteve envolvida na Associação Médio Tejo Criativo com a promoção e a defesa dos interesses de artistas e criativos na região do Médio Tejo, em diversas áreas de trabalho – Design, Fotografia, Cinema e Vídeo, Audiovisual, Edição, Comunicação, Arquitetura, Artes Visuais e Artes Performativas, Literatura, Música, Dança, Moda, entre outros.

Voltou, em 2018, à Escola Superior de Tecnologia de Abrantes para frequentar o curso de comunicação social, no ramo comunicação empresarial.

Na política integrou, em 2009, uma lista de Independentes à Assembleia Municipal e, em 2013, foi eleita deputada municipal pelo Partido Socialista, na qualidade de independente. Diz acreditar que “só com o envolvimento e a cooperação de todos os atores das comunidades locais e regionais, asseguraremos a qualidade de vida e as dinâmicas sociais que a nossa cidade e a nossa região precisam e merecem”.

Sobre a candidatura à União das Freguesias de Abrantes e Alferrarede, Sónia Pedro, diz que "é com uma forte motivação que encaro a minha Candidatura à União de Freguesias de Abrantes, S. Vicente, S. João e Alferrarede pelo movimento ALTERNATIVAcom, em nome da construção de uma União de Freguesias mais viva, mais dinâmica e com melhor qualidade de vida; que valorize o seu vasto património edificado, tanto cultural como natural; e sobretudo que envolva as pessoas e as entidades locais na construção de um futuro comum".