Pesquisar notícia
quinta,
05 ago 2021
PUB
Economia

Abrantes: Taberna da Amália junta gastronomia e fado para “trazer alegria” ao centro histórico

27/05/2021 às 13:12
Partilhar nas redes sociais:
Facebook Twitter

O centro histórico de Abrantes parece querer voltar a ganhar a vida de outrora. Novos negócios vão abrindo portas e aí está mais uma oferta, desta vez gastronómica mas com animação musical.

Abriu esta quinta-feira, 27 de maio, a Taberna da Amália. Situada em plena Rua Nossa Senhora da Conceição, tem como promotores Telmo Correia e Carla Santos. Um casal jovem que já correu mundo e que decidiu que era a altura certa para regressar ao país e à sua cidade.

“Eu e a minha namorada somos de Abrantes e trabalhámos muitos anos no estrangeiro, passámos por vários países e isso fez-nos dar mais valor àquilo que é nosso”, começou por explicar Telmo Correia.

Em alturas de pandemia sentiram que estava na hora de “voltar ao nosso porto seguro, à nossa cidade da qual aprendemos cada vez mais a gostar. Foi isso que nos levou a investir aqui e já não queremos sair de cá”. Até porque, já estava planeada mas coincidiu com o início da pandemia, “tivemos uma bebé. Já não era altura de irmos para fora pois apesar de sermos jovens, já corremos muito”.

O facto de terem escolhido o centro histórico, diz o empresário, foi por sentir que “a cidade está um bocadinho parada e precisa de movimento e é isso que estamos dispostos a fazer, dar alegria à cidade”. No entanto, para Telmo Correia, este pode ser um desafio “para incentivar outros a fazerem o mesmo”.

 

Telmo Correia, Carla Santos e a pequena Amália

A gastronomia

Quanto à oferta gastronómica, “é muito diversa” e para todas as horas.

A Taberna da Amália vai servir “pequenos-almoços mais tradicionais, vamos ter as diárias ao almoço, mais para tarde há lanches, tábuas e petiscos e à noite, há serviço à carta”. Não esquecer uma outra característica, é que a Taberna também é wine bar, ou seja um bar de vinhos onde poderá apreciar várias marcas.

De início, a nova Taberna da Amália vai estar aberta diariamente mas depois, encerrará à terça-feira. Isto porque, como explicou Telmo Correia, “queremos contrariar a tendência que há em deixar Abrantes abandonada ao domingo. Queremos trazer pessoas ao domingo para dentro da cidade e foi também por isso que escolhemos uma casa de fados. A ideia é trazer o fado, ao domingo, para as ruas da cidade”.

Faltava saber o porquê do nome Taberna da Amália. A ligação ao fado faz todo o sentido mas, neste caso, não se resume apenas a uma homenagem à fadista maior. “Toda a gente vai associar o nome a Amália Rodrigues mas a Taberna é da Amália porque a minha filha se chama Amália”.

 

 

A animação

Contudo, nem só de fado vai viver a Taberna. “Vamos ter aqui vários estilos musicais e estamos abertos a receber outros artistas. É uma casa multicultural”. Para este sábado, 29 de maio, já há uma Noite de Fados, com a Francisca Gomes, “que é a nossa artista residente”. No entanto, se acha que é uma boa sugestão para sábado à noite, lamentamos informar que esta já está esgotada. “Esgotámos a lotação da casa logo nas primeiras horas”.

Para este fim-de-semana, Telmo confessa “estar muito satisfeito e animado pois já temos muitas reservas”.

 

Os chefs de cozinha

Uma boa surpresa esperava-nos por trás da porta. Patrícia Gaspar e Rúben Janeiro, ambos com 21 anos, são os responsáveis pela cozinha da Taberna da Amália. Para além de Telmo Correia e Carla Santos, o empresário avançou que “criámos mais dois postos de trabalho novos. São dois jovens que vieram do Curso de Cozinha e Pastelaria da Escola Profissional de Desenvolvimento Rural de Abrantes, e ainda temos mais um posto de trabalho indireto, de alguém que está a colaborar connosco”.

A intenção é “criar mais postos de trabalho no futuro”.

Presente nesta abertura ao público esteve também João Quinas, o diretor da EPDRA, que vê “com bastante agrado dois jovens formados na Escola”.

A chef Patrícia Gaspar é aluna finalista e o Rúben Janeiro já terminou a sua formação na Escola Profissional.

“O nosso objetivo enquanto Escola é formar profissionais para integrar o mundo do trabalho. Neste Curso de Cozinha e Pastelaria, apesar de não termos iniciado esta formação há muitos anos porque a mossa matriz é rural, achámos que fazia sentido entrarmos nesta área”, referiu João Quinas.

O diretor da EPDRA também se mostrou “bastante satisfeitos” pelo facto de começar a haver oferta em Abrantes para os alunos da Escola.

“Para nós é muito interessante porque sendo uma Escola do concelho de Abrantes, gostamos de ver que há dinâmicas no concelho que podem vir a absorver os nossos alunos e dar-lhe a hipótese de eles ficarem na sua região, no seu meio, o que é para nós uma dupla felicidade”.

Está então aberta ao público a Taberna da Amália que, nas redes sociais, se apresenta como “uma Taberna Portuguesa concerteza. Fados, Tradições e Bom Comer fazem deste espaço único nesta cidade florida de seu nome Abrantes. Aqui contam-se histórias do passado, por gente do presente a pensar no futuro”.

Os jovens chefs Patrícia Gaspar e Rúben Janeiro com os promotores e o diretor da EPDRA, João Quinas

Galeria de Imagens