Pesquisar notícia
terça,
15 jun 2021
Música

Próximos concertos da Orquestra Sinfónica Portuguesa vão ser transmidos online

1/02/2021 às 22:10
Partilhar nas redes sociais:
Facebook Twitter

A Orquestra Sinfónica Portuguesa (OSP) vai transmitir 'online' os seus dois próximos concertos, através da rede social Facebook e da plataforma Youtube, anunciaram hoje os serviços do Teatro Nacional de S. Carlos (TNSC).

As transmissões 'online' inserem-se na iniciativa "São Carlos volta a sua casa", com programações a transmitir às sextas-feiras, às 21:00, e, aos domingos, às 16:00. Refira-se que o concerto de abertura da temporada foi também transmitido 'online', no passado dia 27 de janeiro.

O concerto do próximo domingo reúne a soprano Ana Quintans, o barítono Luís Rodrigues e a maestrina titular da OSP, Joana Carneiro, em torno de Gustav Mahler. Dois dias antes, são os 265 anos do nascimento de Wolfgang Amadeus Mozart, em 27 de janeiro de 1756, em Salzburgo, que constituem o motivo da celebração.

Este concerto da OSP, inteiramente dedicado a Mozart, conta com o violinista Hugues Borsarello e o violetista Gérard Caussé, como solistas, o maestro Pedro Neves, na direção, e será transmitido na próxima sexta-feira às 21:30.

O programa inclui o Concerto n.º 4 em Ré Maior, para violino e orquestra, composto em 1775, e a Sinfonia Concertante em Mi bemol Maior, para violino, viola d'arco e orquestra, composta em 1779, durante uma digressão europeia de Mozart.

O maestro Pedro Neves, atual diretor artístico e maestro titular da Orquestra Metropolitana de Lisboa, é também maestro titular da Orquestra Clássica de Espinho, e professor na Academia Nacional Superior de Orquestra da Metropolitana.

Natural de Águeda, no distrito de Aveiro, Neves foi maestro titular da Orquestra do Algarve (2011/2013), maestro associado da Orquestra Gulbenkian, entre 2013 e 2018, sendo convidado regularmente para dirigir esta orquestra, assim como a Sinfónica do Porto-Casa da Música, a Filarmonia das Beiras, a Orquestra Clássica do Sul, a Orquestra Clássica da Madeira, as sinfónicas brasileiras do Estado de São Paulo e de Porto Alegre, a Orquestra Filarmónica do Luxemburgo e a Real Filarmonia da Galiza.

Hugues Borsarello já trabalhou com a Orquestra Metropolitana de Lisboa e, segundo o TNSC, "as suas interpretações de Mozart já fizeram evocar as do lendário Arthur Grumiaux (1921-1986)", recordando que a integral dos concertos do compositor austríaco pelo violinista, em 2014, "obtiveram enorme aplauso".

Hugues Borsarello, que estudou no Conservatório Nacional Superior de Música de Paris, toca num violino V. Ruggieri de 1695, adianta o TNSC.

Borsarello fundou com os músicos Laurent Manaud-Pallas, Arnaud Thorette e Gauthier Herrmann o quarteto Volta, cujo primeiro disco, editado em 2016, foi dedicado a Mozart.

O violetista Gérard Caussé, por seu turno, "tem-se apresentado como intérprete em recitais a solo, como integrante de conjuntos de câmara, como solista com importantes orquestras e como protagonista de elogiadas gravações".

O repertório de Gérard Caussé estende-se de Bach à contemporaneidade. Como membro fundador e viola solista do Ensemble Intercontemporain, de Pierre Boulez, foi dedicatário de vários concertos.

O outro concerro, no próximo domingo, às 16:00, apresenta, em versão de câmara, o ciclo de canções "Des Knaben Wunderhorn" ("A Trompa Mágica do Rapaz", em tradução literal), de Gustav Mahler, sob a direção de Joana Carneiro, com os cantores Ana Quintans e Luís Rodrigues.

Este programa foi apresentado em Almada, em outubro último, e no TNSC, em Lisboa, no passado dia 14 de janeiro.

"Des Knaben Wunderhorn", explica o TNSC, "é o título de uma coletânea de poemas que inspiraram Gustav Mahler durante grande parte da sua vida", incluindo-os em vários ciclos, nomeadamente este grupo de doze canções para soprano ou barítono.

Licenciada em Escultura, Ana Quintans estudou Canto na Escola de Música do Conservatório Nacional, em Lisboa, e no Flanders Operastudio, em Gent, na Bélgica como bolseira da Fundação Calouste Gulbenkian, tendo-se estreado em 2005.

A soprano já trabalhou com vários maestros e tem-se apresentado em diferentes palcos internacionais, entre os quais os da Opéra Comique e do Théâtre des Champs-Élysées, em Paris, das óperas de Lyon e Rouen, assim como no Festival d'Aix-en-Provence, em França, nos festivais de Edimburgo e de Glyndebourne e na Scottish Opera, no Reino Unido, no Concertgebouw, de Amesterdão, na Bayerische Staatsoper, em Munique, e na Alten Oper Frankfurt, na Alemanha, no Teatro Real de Madrid, no Victoria Hall, em Genebra, no Bozar em Bruxelas, no Carnegie Hall, em Nova Iorque, além dos palcos nacionais da Fundação Gulbenkian, Centro Cultural de Belém, Casa da Música, TNSC e o Festival de Música de Sintra, entre outros.

O barítono Luís Rodrigues estudou no Conservatório Nacional e na Escola Superior de Música de Lisboa, atuou no TNSC, na Fundação Calouste Gulbenkian, no Teatro Aberto, também em Lisboa, entre outros.

Em 2000 recebeu o Prémio Bordalo de Imprensa para Música Erudita.

Luís Rodrigues protagonizou a estreia portuguesa da ópera "Der Kaiser von Atlantis", de Viktor Ullmann, levada à cena pelo Ginásio Ópera no Convento dos Capuchos, em Almada.

O cantor lírico participou ainda na estreia das óperas "Outro Fim", de António Pinho Vargas, e "Jerusalém, de Vasco Mendonça, na Culturgest.

Luís Rodrigues apresenta-se também regularmente em concerto e oratória e em recitais de Música de Câmara.

As transmissões podem ser acompanhadas através da página do "facebook", www.facebook.com/SaoCarlos, e na plataforma de partilha de vídeos YouTube www.youtube.com/saocarlos.

Lusa