Paul McCartney lança novo álbum, «McCartney III»

0000-00-00
(DR)
(DR)

A espera chegou finalmente ao fim: o aguardado novo álbum de Paul McCartney, “McCartney III”, acaba de ser lançado nas plataformas digitais, em CD e em vinil.

O primeiro álbum de Paul desde “Egypt Station”, de 2018, “McCartney III” é uma obra despojada, produzida pelo próprio músico e literalmente a solo, tal como já tinha acontecido com os discos “McCartney”, de 1970, e “McCartney II”, de 1980. Gravado no início deste ano em Sussex, “McCartney III” é maioritariamente construído a partir de gravações ao vivo de Paul, fazendo overdubs de baixo, bateria, etc. O processo começou quando Paul voltou a uma canção inédita do início dos anos 1990, “When Winter Comes” (coproduzida por George Martin). Paul criou uma nova passagem para a canção, dando origem ao tema de abertura do álbum, “Long Tailed Winter Bird” - enquanto “When Winter Comes”, com a sua nova intro, “Winter Bird”, se tornou o grande final do novo álbum.O mais recente e profundo olhar sobre o processo criativo de “McCartney III” veio à tona esta semana na forma do vídeo “Find My Way”, realizado por Roman Coppola, sendo que a filmagem utilizou nada menos que 46 câmaras para captar Paul a tocar todos os instrumentos sob todos os ângulos, resultando numa visão intimista sobre Paul McCartney a criar e a interpretar um dos destaques do álbum “McCartney III”.

Para mais detalhes sobre “McCartney III”, o Spotify revela imagens de bastidores e comentários sobre o álbum, enquanto a  Amazon Music criou murais em 12 cidades que apresentam partituras do álbum e interpretações de músicos e artistas de todo o mundo e, na segunda-feira, Paul junta-se a Zane Lowe da Apple Music para uma conversa profunda sobre “McCartney III”. Veja em apple.co/_Zane.Tal como o lançamento de “McCartney”, em 1970, marcou o regresso de Paul McCartney às raízes, após a separação da maior banda na história da música, e a obra-prima de vanguarda de 1980, “McCartney II”, o ressuscitou das cinzas dos Wings, “McCartney III” mostra-nos Paul McCartney de volta a solo, transformando circunstâncias inesperadas num retrato pessoal de um artista intemporal num momento único da história.


“…existe algo incrivelmente ‘Paul’ na abordagem de McCartney ao álbum pandémico: alegre, resiliente, a olhar sempre em frente. É um lembrete de uma das mensagens mais poderosas dos Beatles para os baby boomers: a vida vai melhorar. Está cada vez melhor.” – NEW YORKER
“…um regresso espetacular à forma… os seus traços musicais são tão requintados e profundos quanto os de qualquer pessoa. Sempre.”- SALON
“…melodias impressionantes e arranjos ágeis… exibe um toque composicional ainda vibrante.” - THE WALL STREET JOURNAL