José Cid ganha Grammy Latino

Música 2019-08-24
José Cid
José Cid

O músico português José Cid vai receber um Grammy de “Excelência Musical”, anunciou esta sexta feira a Academia Latina de Gravação.

“O Prémio à Excelência Musical é concedido a artistas que fizeram contribuições de significado artístico excecional para a música latina”, refere a página oficial da Academia.

José Cid vai receber o Grammy Latino numa cerimónia em Las Vegas, nos Estados Unidos da América, em 13 de novembro.

Numa mensagem na rede social Facebook, José Cid já reagiu ao prémio, considerando que é o mais importante “de pouco mais de 50 anos de carreira como músico e poeta”.

“Estou também feliz porque o pop rock português, sempre tão impossibilitado de atravessar fronteiras, é reconhecido a este nível. Parabéns a todos os meus colegas que escrevem e cantam em português”, salienta, elogiando o reconhecimento que sempre recebeu do público português.

Além de José Cid, também Eva Ayllón, Joan Baez, Lupita D'alessio, Hugo Fattoruso, Pimpinela, Omara Portuondo e José Luis Rodríguez "El Puma" vão ser distinguidos com o mesmo galardão, enquanto Mario Kaminsky vai receber o prémio da Direção.

"Tenho um grande prazer em homenagear um grupo de pessoas notável e homogéneo com os Prémios à Excelência Musical e da Direção deste ano", disse Gabriel Abaroa Jr., presidente da Academia Latina da Gravação.

Gabriel Abaroa Jr. referiu que está “ansioso” por distinguir os vencedores.

“Cada uma destas lendas continua a deixar a sua marca no mundo da música latina através do seu talento e paixão por criar sons que vibram em todas as nossas comunidades e ajudam a construir nossa música por décadas”, salientou.

Na página oficial da Academia Latina de Gravação é referido, num pequeno texto dedicado ao músico português, que José Cid, de 77 anos, “adaptou sem esforço a influência da música popular anglo ao estilo original do pop rock português”.

“Em 1956, o surgimento de sua banda cover Os Babies marcou um momento de ‘antes e depois’ para o pop rock em Portugal. O seu próximo grupo, o Quarteto 1111, criou as bases do rock português, com uma forte tonalidade psicadélica e lançamentos inovadores, como o enorme sucesso de 1967 ‘A Lenda De El-Rei D. Sebastião’. Continuando como artista a solo, em 1978 lançou ‘10000 Anos Depois Entre Vénus e Marte’, considerado uma obra-prima do rock progressivo”, salienta a mensagem da Academia.

O texto acrescenta que José Cid tem “dezenas de sucessos”, continuando a ser “uma grande atração em concertos em Portugal”.

Lusa