Apocalipse e ficção científica marcam novo álbum dos Sunflowers

Música 2020-02-08
Sunflowers (Foto de Renato Cabral)
Sunflowers (Foto de Renato Cabral)

A banda Sunflowers lançou o álbum “Endless Voyage”, uma aventura de ‘punk’ psicadélico associada a um mundo apocalíptico espelhado na realidade “assombrosa” dos dias atuais, explicou à Lusa o guitarrista Carlos de Jesus.

Gravado entre 2018 e 2019, entre Arouca e o Porto, “Endless Voyage” foi lançado, na sexta-feira, em versão digital, CD e vinil, em quatro cores diferentes, pela editora britânica Stolen Body Records e a Only Lovers Records, no que foi a terceira parceria entre a editora francesa e a banda portuense.

As bases do disco começaram “pelo lado instrumental” e o conceito narrativo chegou depois, pela vontade de “fazer uma coisa diferente” e desconhecida para a banda.

“Vamos criar um conceito, uma história, e vamos fazer com que o álbum todo siga essa história. Vivemos um momento um bocado assombroso, em que não sabemos o que vem a seguir, pode ser uma guerra nuclear, um desastre, também as alterações climáticas... depois, foi espelhar a realidade na ficção”, afirma Carlos de Jesus, guitarrista e vocalista de uma dupla em que faz par com Carol Brandão (bateria e voz).

Perante uma realidade desoladora, o álbum conceptual debruça-se sobre um vilão, chamado Studiomaster, descrito na apresentação como “uma entidade misteriosa que ceifa as mentes decadentes da Humanidade e perverte o seu sentido de realidade”.

“Tentámos criar dois lados para a história, de um lado as guitarras, as baterias e o baixo, e depois os sintetizadores, que é a versão do vilão, a dizer que está tudo bem, não se passa nada. Quisemos jogar com esse contraste. (...) Começámos a lutar, um contra o outro, até que no fim acabámos por nos tornar aquilo que não queremos ser”, no caso uma máquina como Studiomaster, acrescenta Carlos de Jesus.

Ao longo de 12 músicas, e “40 minutos certos”, desenrola-se uma narrativa que foi deixada propositadamente “ambígua, para ter várias interpretações”.

Uma delas foi explorada por Afonso Marmelo, num trabalho de vídeo sobre “Dreamweaver” e “Oscillations”, faixas que ajudam a contar a história e que, aqui, receberam um tratamento à “imagem que ele tem do álbum”.

Para 2020, o plano de concertos passa por tocar em Portugal até abril, com vários concertos já marcados em cidades como Braga, Vila Real, Guimarães, Barreiro ou Lisboa, antes de passarem dois meses a “tocar na Europa”, regressando antes de experimentar, no fim do ano, “sítios novos”, que podem passar “por voltar à África do Sul ou à Europa”.

Carol Brandão e Carlos de Jesus formaram os Sunflowers em 2014, tendo editado nesse ano o EP de estreia, homónimo e gravado em casa.

O segundo EP, “Ghosts, Witches and PB&Js", chegou um ano depois e o álbum de estreia, “The Intergalactic Guide to Find the Red Cowboy", foi editado em 2016, em formato digital, vinil e cassete.

No início de 2017, a dupla assinou um contrato com a editora francesa Only Lovers, com vista à reedição do álbum e a uma série de concertos em França, a que se seguiu “Castle Spell”, em 2018.