Pais fecharam escola do Tramagal descontentes com falta de pessoal

Educação 2019-10-04
DR
DR

O Centro Escolar de Tramagal foi ontem, quinta-feira, fechado a cadeado por alguns pais em protesto pelo “número insuficiente de assistentes operacionais” e pela “falta de segurança e acompanhamento” das crianças. Aliás, essa é a mensagem que está presente nalguns cartazes que foram afixados nos gradeamentos da escola.

Segundo a vereadora com o pelouro da Educação da Câmara de Abrantes, Celeste Simão, assim que se soube do fecho da escola a GNR foi chamada para abrir os portões e as aulas arrancaram com normalidade.

 O que terá estado em causa foi a falta de funcionários na escola. A vereadora salientou que essa falha havia sido colmatada com a deslocação de uma auxiliar da escola António Torrado e que os pais “desconheciam essa medida”, pelo que terá existido “alguma precipitação” no protesto. A vereadora garantiu que a falha foi pontual e que a segurança das crianças “nunca foi colocada em causa”.

 Sobre o fato de serem funcionários colocados através do Centro de Emprego, a vereadora garantiu que na escolha destas pessoas é tida em conta a atividade que vão desenvolver e que não entram de imediato em funções. Primeiro têm formação noutras escolas, antes de assumir o lugar onde foram colocadas. Neste período, disse a vereadora, que há deslocação de outros funcionários para colmatar estas falhas.

 Sobre o protesto dos pais que, alegadamente, estarão fartos de empregados colocados através do Centro de Emprego a vereadora revelou que essas pessoas não podem ser excluídas só pelo simples fato de estarem desempregados. E muitas vezes, adiantou, o que acontece é que arranjam empregos noutros locais e de forma mais fixa e deixam a escola.

 Celeste Simão garantiu que, apesar de tudo, mesmo que possa haver a perceção de falta de funcionários nos recreios isso não é bem assim, sendo certo que a escola vai continuar a funcionar de forma regular, estando já em curso a reposição dos funcionários que estiveram em “falta” e que terão provocado esta manifestação de alguns pais, sem conhecimento da Associação de Pais, garantiu a vereadora.