Abrantes: Escola D. Miguel de Almeida celebra 50 anos com homenagem ao seu primeiro diretor

Educação 2018-12-13

No âmbito do cinquentenário, esta quarta-feira, dia 12 de dezembro, realizou-se na Escola Básica D. Miguel de Almeida, (antigo Ciclo Preparatório), em Abrantes, uma homenagem ao primeiro diretor da escola, Vítor Marques.

O evento contou com a presença do diretor do Agrupamento nº1 de Abrantes, Jorge Costa, da presidente da CM de Abrantes, Maria do Céu Albuquerque e ainda com a presença de uma antiga professora da escola, Teresa Aparício, que usou da palavra para homenagear Vítor Marques.

O homenageado não conseguiu comparecer por motivos de saúde. No entanto, o público não faltou e encheu o auditório, onde muitos dos atuais e antigos docentes da escola marcaram presença.

Jorge Costa recorda que Vítor Marques foi o primeiro diretor da Escola Básica D. Miguel de Almeida, tendo também sido subdiretor da Escola Dr. Solano de Abreu (antiga EICA). Iniciou a escola de Ponte de Sor, fez um pólo da Escola D. Miguel de Almeida em Sardoal e dirigiu simultaneamente a escola de Almeirim. Além de professor, também foi escultor, vereador, sindicalista, realizou várias ações culturais e defendeu várias causas políticas. Teve um papel muito importante no ensino de Abrantes e na região do Médio Tejo.

“O professor Vítor Marques estava no período certo. O ensino em Portugal é que estava atrasado no tempo,” salientou o diretor.

O diretor enalteceu a capacidade de polivalência do ex-professor, Vítor Marques, referindo que “seria impensável nos dias de hoje o trabalho que ele desenvolveu naquela época”, enumerando também várias escolas na região do Médio Tejo, onde ele teve um papel muito relevante e pioneiro.

“O professor Vítor Marques estava no período certo. O ensino em Portugal é que estava atrasado no tempo,” salientou o diretor, explicando que “tudo o que é feito agora no ensino, já era feito pelo antigo professor há 35 anos”.

Jorge Costa, que outrora foi aluno do antigo professor, disse que quando era mais novo, que Vítor Marques era o seu “ídolo” devido à “forma como defendia o que acreditava, devido à forma como respeitava quem tinha ideias diferentes dele”. E no final do discurso, agradeceu dizendo que “devo muito da minha carreira ao professor”.

Já Maria do Céu Albuquerque disse que a homenagem representava “todos aqueles que trabalham nesta escola: cada pessoa que constitui o agrupamento, todos os que constituem os agrupamentos do concelho e toda gente que contribui de uma forma significativa para o ensino no concelho”.

Maria do Céu Albuquerque, presidente da CMA, presente na cerimónia de homenagem a Vítor Marques

À margem da cerimónia, Jorge Costa, explicou à Antena Livre o motivo pelo qual homenagearam o professor Vítor Marques, dizendo que “para além de ele ter sido o primeiro diretor desta escola, ele também foi professor efetivo no estabelecimento secundário Dr. Solano de Abreu, que era a antiga EICA, e, por isso, está ligado às duas escolas”.

“Foi talvez uma das pessoas mais relevantes na área da educação em Abrantes. Era uma pessoa completa. Foi dos melhores professores que tivemos na cidade”, enalteceu o responsável.

Quando questionado sobre as celebrações do cinquentenário que a Escola D. Miguel de Almeida assinala, Jorge Costa esclareceu que “não vai haver nenhum programa específico. Vão existir ações pontuais que se vão desenvolver durante o ano”.

Nélio Dias