Sardoal inaugura “Paixão” de Emília Nadal e Projeto Capela 2019

Cultura 2019-04-08
Projeto Capela - Fotos Carolina Ferreira
Projeto Capela - Fotos Carolina Ferreira

Tal como nos anos anteriores, a Semana Santa de Sardoal conta com vários momentos culturais, nomeadamente, duas exposições que foram inauguradas na sexta-feira, 5 de abril, ao fim da tarde.

No Centro Cultural Gil Vicente, Emília Nadal expõe pela primeira vez alguns dos seus trabalhos de pintura sob o tema “Paixão”.

Visivelmente feliz, a artista plástica admitiu que para além da pintura, uma das suas paixões também é o Sardoal, para onde veio durante muitos anos a casa de uma amiga, na conhecida Casa do Adro. E, portanto, para Emília Nadal “foi um prazer enorme” receber o convite da Câmara municipal para expor na vila Jardim.

Emília Nadal disse sentir “uma grande amizade pelas pessoas e pela vila de Sardoal e a tudo o que ela encerra de património existente que é conhecido, admirado e tratado com paixão”.

Emília Nadal “é um dos grandes nomes da pintura portuguesa" - Miguel Borges 

À margem da inauguração, Miguel Borges, presidente da Câmara Municipal, referiu-se a Emília Nadal como “um dos grandes nomes da pintura portuguesa. Uma senhora que tem um trabalho fantástico exposto nas maiores galerias do país”.

Gostamos que nesta casa [no Centro Cultural] passe o que de bom se faz no nosso país em termos de teatro, música, cinema e também em termos de artes plásticas. Recordo que não há muito tempo tivemos Nadir Afonso que também é um dos maiores nomes da pintura”, realçou o presidente, dando conta que “ter a presença de Emília Nadal junto de nós, explicando a suas obras, foi um momento único”.

A exposição de Emília Nadal, intitulada “Paixão” vai ficar patente no Centro Cultural Gil Vicente até ao dia 9 de junho.

Outro momento, que norteou o fim de tarde da passada sexta-feira em Sardoal, foi a inauguração da exposição “Projeto Capela 2019”, que o espaço Cá da Terra acolhe até dia 9 de junho.

Para além da inauguração dos mais de 130 desenhos realizados pelos alunos do Agrupamento de Escola, foram conhecidos os vencedores do Projeto Capela 2019. Em primeiro lugar, e com a oportunidade de ver o seu desenho concretizado em tapete de flores no chão da Capela do Senhor dos Remédios, ficou Beatriz Nascimento do 9º ano. Em segundo lugar ficou Maria Silva do 5º ano e na terceira posição ficou Beatriz Matos do 8º ano de escolaridade.

"Despertar nos alunos uma tradição tão emblemática do nosso concelho é fundamental" - Ana Paula Sardinha  

Em declarações à Antena Livre, Ana Paula Sardinha, diretora do Agrupamento de Escolas de Sardoal, explicou que o envolvimento dos alunos na Semana Santa “começa a ser preparado logo no início do ano letivo. Este projeto surge articulado e há todo um contexto histórico que é trabalhado nas aulas de história, nas aulas de cidadania e desenvolvimento para apelar à participação nas tradições locais”.

Depois desta sensibilização por parte dos professores, há toda a parte de execução do projeto nas aulas de educação visual e, posteriormente, há a execução do projeto na capela, onde não só as tradições são avivadas, mas também, o desenvolvimento de outras competências ligadas à entreajuda e ao companheirismo”, fez notar a diretora da escola.

Sobre a forte adesão dos alunos, Ana Paula Sardinha referiu que denota “cada vez mais empenho, mais adesão e mais motivação. Na primeira vez que fizemos esta exposição tínhamos 20 e tal projetos aqui expostos, hoje temos 130”.

Hoje, à escola não compete só ensinar competências académicas, o ensino vai além disso. E, portanto, despertar nos alunos uma tradição tão emblemática do nosso concelho é fundamental e trabalhámos nisso todos os dias”, salientou a responsável.

A cerimónia terminou com a apresentação pública do Projeto “Educação pela Arte”, com trabalhos realizados pelos alunos do 1.º ciclo do Ensino Básico, no âmbito da Disciplina “Faz de Conta”, que encheu o Centro Cultural Gil Vicente.

O Projeto contou com a coordenação pedagógica de José Ramalho, diretor artístico do Teatro Figura, e teve o intuito de colocar as artes dramáticas na valorização do currículo, implementando, simultaneamente, estratégias para o sucesso escolar.

O presidente da Câmara considerou ser um “trabalho pedagógico de grande importância”, tendo sido “um projeto que a Câmara Municipal abraçou, no âmbito do projeto comunitário da Comunidade Intermunicipal do Médio Tejo com outros Municípios, em que os nossos alunos do primeiro ciclo desenvolveram competências no âmbito da expressão dramática”.

Para Miguel Borges o acesso à cultura, dos mais pequenos aos mais velhos, é crucial para que se possa “construir um espírito critico” e para que se possa entender “ a evolução constante deste mundo”.

A Cultura está nas políticas públicas no nosso concelho como estão outras áreas. E como? Fazendo melhor ainda. Investindo a médio/longo prazo e começando precisamente nas crianças. Começando este trabalho na escola para que daqui por diante tenhamos uma comunidade mais interventiva e com outra qualidade”, rematou.