Ruas floridas, frango assado e reencontro de filhos da terra marcam o regresso das Festas do Pereiro (C/SOM)

Cultura 2019-08-23
Festas da Aldeia do Pereiro
Festas da Aldeia do Pereiro

Começam esta sexta-feira, dia 23 de agosto, e decorrem até domingo, dia 25, as Festas da aldeia do Pereiro, no concelho de Mação.

Largamente conhecidas pelas típicas ruas floridas e pela procissão da Nossa Senhora da Saúde - a santa padroeira da aldeia, este ano chegou a falar-se de que as ruas floridas não iam existir. Mas a verdade é que vão, graças ao entusiasmo e empenho de cerca de 20 pessoas que arregaçaram as mangas e puseram mãos à obra para dar um pouco mais de cor e de vida à pequena aldeia maçaense, que nesta altura chama os filhos da terra às raízes.

António Maia, da Associação Cultural, Desportiva e Recreativa do Pereiro, explica que "há mais de 40 anos que as pessoas começaram a enfeitar as ruas e tem-se prolongado ano após ano". 

Para além de um cartaz bem composto, com atuações da Banda RitmiTal e dos Cromos da Noite, esta sexta-feira, de Miguel Azevedo e dos Kiss Kiss Bang Bang, no sábado, e dos RED no domingo, este ano a festa conta também com um espetáculo de stand up comedy, no domingo, por Jorge Serafim.

Mas um dos momentos altos da festa são as cerimónias religiosas, que acontecem no domingo com a realização de uma missa solene e da Procissão em honra de Nossa Senhora da Saúde, em que 16 pessoas transportam a santa pelas ruas decoradas. Um momento repleto de fé e emoções e que, segundo António Maia, chama à terra "muita gente que é devota da Nossa Senhora da Saúde".

"Há muita gente que saiu da terra e que nesta altura volta e muitas vezes traz também vizinhos e amigos", acrescenta.

No entanto, já nem tudo era como antigamente. António confessa que "ano após ano isto tem diminuído um pouco porque as pessoas vão perdendo o entusiasmo e como dá um bocado de trabalho e algumas vão desistindo. Se houvesse mais gente menos isto custava".

Menos gente significa mais trabalho. Mas os poucos que restam não querem deixar morrer a tradição. Aliás, a aldeia do Pereiro quer mesmo ver esta tradição das ruas floridas reconhecida como Património Cultural Imaterial Nacional. Para isso, a Câmara Municipal de Mação fez já o projeto, que foi submetido há dois anos para a Direção Geral de Património Cultural.

Neste momento, conta António, "estamos à espera da decisão. Sabemos que estas coisas têm estado a demorar algum tempo... mas [se fosse aceite] ajudava a manter esta tradição de enfeitar as ruas".

E como festa que é festa não pode viver sem gastronomia, não vai faltar o típico frango assado, que, diz António, "costuma atrair muita gente, embora às vezes as pessoas tenham que esperar um bocadinho, mas é uma festa e as pessoas já sabem que isto é assim".

Música, animação, religião, fé, emoções e gastronomia. Está tudo a postos para mais um ano de ruas floridas e António Maia deixa o convite: "Dá muito trabalho organizar uma festa destas e a enfeitar as ruas, por isso gostávamos que as pessoas viessem ver o nosso trabalho e admirar aquilo que as pessoas são boas a fazer. Esperamos que as pessoas venham até cá divertir-se e passar um bom bocado e comer o frango assado".

De 23 a 25 de agosto, o "Pereiro de Mação - Capital das Ruas Enfeitadas” volta a ver os céus das ruas e largos cobertos de cor, com autênticos jardins suspensos que prometem deslumbrar visitantes e filhos da terra. 

Consulte o programa completo das festas do Pereiro aqui: https://www.antenalivre.pt/evento/pereiro-macao-festas-23-24-25-agosto#lightbox[group]/0/

 

Ana Rita Cristóvão