Music Box: As músicas do Pérsio, entre os U2 e o jogo de basquetebol com os Xutos

Cultura 2019-05-09

O gosto musical do responsável do gabinete de comunicação da Câmara Municipal de Vila Nova da Barquinha é muito variado e acompanha-o desde cedo, desde dos tempos de escola.

No Music Box revelou que a sua ligação à música vem dos tempos em que estudava no secundário, no entroncamento. Em vez de uma viola, como acontecia com muitos jovens, andava com discos, em vinil, debaixo do braço. Ouvia muitos artistas e passava os discos na rádio da escola.

Os Xutos & Pontapés é, para ele, “a banda” portuguesa. “Habituei-me a ouvir os Xutos desde pequeno, fui-me habituando a ouvir quer a música quer a forma de estar. Para mim são os maiores”, disse Pérsio Basso recordando os tempos de juventude. Por outro lado garante que a música cantada em português é uma coisa que o toca e garante que temos músicos muito bons em vários estilos.

Quando estudava jornalismo, em Portalegre, recordou os momentos em que cantava Xutos na rua. E o que o marcou foi um concerto deles na Queima das Fitas, quando ia com um colega entrevistá-los, antes do concerto, e depois da conversa com o Zé Pedro “estávamos no pavilhão e, pronto, andámos ali a jogar basquetebol com eles. Já era admirador dos Xutos e depois disso fiquei mais”.

Já a escolha sobre o tema “Chuva Dissolvente” é muito simples, porque se identifica com a letra e com a história de uma vida que passa.

Depois a conversa evolui para a grande banda do jornalista. Os irlandeses U2. Conhece a história de vida e carreira dos elementos da banda e disse identificar-se com todas as letras da banda. “Todas as músicas têm mensagens”. Este “Until The End Of The World” por exemplo parece ser um tema com mensagens de amor “mas segundo eles (a banda), é um diálogo entre Jesus e Judas”, sustentou. Pérsio Basso é um fã de topo da banda de Bono Voz tendo estado presente em quatro concertos. O primeiro que assistiu tinha 16 anos e foi para Lisboa de comboio com os amigos. E na conversa do último fim de semana revelou que quase ficou em depressão por não ter conseguido bilhete para o concerto de outubro de 2010. “Quase fiquei com uma depressão musical, fui para o computador e o site estava constantemente a ir abaixo. Foram duas horas desesperantes e oiço na rádio que os bilhetes estavam esgotados. Saí de casa e fui ao supermercado para descontrair. Encontrei uma amiga que me disse que um primo estava há mais de 12 horas na Worten para comprar e já não há bilhetes dos mais baratos. Ela ligou ao primo e eu fui para o lugar do primo. Comprei os bilhetes, dos mais caros, mas foi um momento de alegria”, contou.

Depois, em 2003, descobriu os Muse. E como gosta sempre de conhecer novas bandas gostou das guitarradas dos Muse, faz-lhe lembrar qualquer coisa dos Queen. E as músicas também têm mensagem, e é uma “banda que me enche as medidas”.

 

 

 

As músicas de eleição do Pérsio Basso são:

 

Xutos & Pontapés – Chuva Dissolvente

 

U2 – Until The End Of The World

 

Muse – Indisclosed Desires