Festa de Nossa Senhora da Boa Viagem distinguida com selo de nomeada às 7 Maravilhas da Cultura Popular

2020-04-06
DR
DR

A Festa de Nossa Senhora da Boa Viagem, no concelho de Constância, recebeu uma boa nova: foi-lhe atribuído o selo de nomeada enquanto candidata à edição das 7 Maravilhas da Cultura Popular, que decorre este ano.
 
O que é que isto significa? Que esta candidatura foi aprovada pelo Conselho Científico e que esta tradição tem agora o selo base das 7 Maravilhas.
Recorde-se que o Município candidatou a Festa de Nossa Senhora da Boa Viagem às 7 Maravilhas da Cultura Popular na categoria “Procissões e Romarias”.
 
Uma tradição que se aviva todos os anos em abril, na segunda-feira da Páscoa, em paralelo com as Festas do Concelho mas que este ano, por força da situação de pandemia que vivemos, foi suspensa.
 
Mas vamos esmiuçar mais a fundo a história deste património cultural do concelho de Constância.
 
Esta é uma manifestação religiosa, bicentenária, ligada à tradição marítima da vila e à consequente devoção a Nossa Senhora da Boa Viagem que ao longo dos tempos se foi adaptando às mudanças do mundo e da vida, transportando consigo a essência de Constância e o espírito deste lugar de encontro do Zêzere com o Tejo.
 
Relata o Município que a procissão e a bênção dos barcos e das viaturas em Constância têm características eminentemente populares, resultantes da devoção e do costume que em cada ano se manifestam e se renovam. As pessoas enfeitam os barcos a seu gosto, com flores naturais e enfeites de papel. Em muitas embarcações transportam imagens da sua devoção. Grande parte dos participantes são homens e mulheres, de uma forma ou de outra ligados aos rios, que têm o hábito de vir a Constância em cada Páscoa para se reencontrarem e confraternizarem, transformando a vila, onde se encontram os rios, num lugar de encontro também de pessoas e de afetos.
 
Vinda, pelo menos, do século XVIII, a procissão de Nossa Senhora da Boa Viagem e a bênção de barcos transportam em si sinais e memórias do passado fluvial da vila, ao mesmo tempo que se souberam adaptar aos tempos e às novas realidades, sobrevivendo ao desaparecimento das condições em que surgiram e continuando a afirmar no presente as marcas identitárias de Constância, ponto de encontro, que sempre viveu dos rios e cujo futuro passará, em boa parte, por eles.
 
Sobre o concurso 7 Maravilhas da Cultura Popular:
 
Na primeira fase decorreram as candidaturas, entre 7 de novembro de 2019 e 8 de março de 2020.  Numa segunda fase, entre março e abril de 2020, foi feita a seleção de 21 patrimónios candidatos por Distrito ou Região Autónoma. Na terceira fase serão selecionados 7 candidatos por Distrito ou Região Autónoma. Na quarta fase, entre julho e agosto de 2020, serão as eliminatórias regionais, por distritos e regiões autónomas, durante
as quais os 140 patrimónios Finalistas Regionais por distritos e regiões autónomas são apresentados para votação pública.
 
Dos 7 patrimónios Finalistas Regionais selecionados será encontrado apenas um património vencedor por distritos e regiões autónomas, sendo que a lista dos 20 apurados será finalizada em agosto de 2020 Na quinta fase será feita a repescagem, isto é, os 20 segundos classificados nas Eliminatórias Regionais do Concurso serão submetidos a uma nova votação para apurar os mais votados e destes, 5 ou 8, seguirão para as Meias-Finais.
 
A sexta e penúltima fase consiste nas Meias-Finais 7 Maravilhas da Cultura Popular e decorre na última semana de agosto, através de dois programas transmitidos em direto na RTP1. Nas Meias-Finais, os 14 Pré-Finalistas são votados para serem apurados os 7 Finalistas que irão participar na Gala Finalíssima. A sétima e última fase consiste na Finalíssima 7 Maravilhas da Cultura Popular, numa gala que decorre a 5 de setembro de 2020 e será transmitida pela RTP1 e RTP Internacional, em horário nobre.