Coleção Figueiredo Ribeiro, de Abrantes, a caminho do Palácio de São Bento

Cultura 2020-01-27
DR: AL e JA
DR: AL e JA

O primeiro-ministro, António Costa, anunciou que a próxima edição da "Arte em São Bento", iniciativa que visa tornar a residência oficial num “espaço de representação do país”, vai expor a coleção Figueiredo Ribeiro, sediada em Abrantes.

No próximo dia 5 de outubro, a coleção Norlinda e José Lima dará lugar a uma nova coleção desta vez sediada em Abrantes e que é a coleção Figueiredo Ribeiro”, avançou António Costa, assegurando que a “Arte em São Bento" vai ter continuidade.

Sediada no Quartel da Arte Contemporânea de Abrantes, a galeria municipal instalada no antigo quartel dos bombeiros de Abrantes, no Largo de Sant’ana, a coleção Figueiredo Ribeiro tem mais de 300 artistas e mais de 2.000 obras. O colecionador considera que está assim representada "razoavelmente, a arte contemporânea portuguesa a partir dos anos 70”.

Quartel da Arte Contemporânea de Abrantes, a galeria municipal instalada no antigo quartel dos bombeiros de Abrantes, no Largo de Sant’ana

Referindo que a tradição é inaugurar a iniciativa no dia 5 de outubro como “boa forma de celebrar a República, devolvendo este edifício [residência oficial do primeiro-ministro] aos cidadãos", António Costa lembrou que essa data em 2019 foi dia de reflexão para as eleições, pelo que a coleção em exposição - Norlinda e José Lima – teve que ser aberta ao público um mês mais cedo, em setembro.

Naturalmente, não conhecíamos o resultado das eleições, não anunciámos nada do que é que ia acontecer a seguir. Agora que já se conhecem os resultados eleitorais, já podemos anunciar o que é que vai acontecer a seguir”, explicou António Costa, no âmbito da inauguração da iniciativa "Design em São Bento – Traços da Cultura Portuguesa".

A coleção Figueiredo Ribeiro vai ser a quarta edição da "Arte em São Bento", iniciativa que se iniciou em 2017, e terá como curadores Ana Anacleto e João Silvestre.

(C/LUSA)