Abrantes: Um casal, 250kg de palha e uma relação presa pelos pés num espetáculo que trouxe vida à Praça Raimundo Soares

Cultura 2019-04-15

Um homem, uma mulher, 250kg de palha, acrobacias de cortar a respiração e a resistência de uma corda. Parece algo fora do comum mas o objetivo é simples: retratar os altos e baixos de uma relação entre duas pessoas.

Assim aconteceu na noite de dia 13 de abril, na Praça Raimundo Soares, em Abrantes, por onde passou o projeto cultural “Caminhos”, com a peça de circo contemporâneo “Envá” da dupla espanhola Amer i Àfrica.

O espetáculo encheu a praça junto à Câmara Municipal de Abrantes de curiosos durante cerca de uma hora de divagação humorística sobre as peculiaridades das relações humanas, onde o espaço e o limite do ser humano é posto à prova.

Momento do espetáculo de circo contemporâneo 

A tentativa de construir uma relação através de fardos de feno, que ameaçaram cair várias vezes, levou o público a experimentar diversas emoções, entre as quais a mais comum foi a surpresa, o riso e a expressão boquiaberta.

As palavras deram lugar aos atos, aos gestos e até às acrobacias no ar, com a personagem feminina a saltar para as varandas da Praça Raimundo Soares e a ficar apenas segura pelos pés através das mãos do companheiro.

A dupla Amer i Àfrica surpreendeu o público ao saltar para varandas dos edifícios em redor

E o público também saltou das cadeira não só para aplaudir como para integrar o espetáculo: três pessoas foram chamadas para segurar fardos de palha e colocar a personagem feminina aos ombros.

Um evento gratuito que atraiu a população ao centro histórico da cidade de Abrantes e que se insere na programação cultural em rede “Caminhos” promovida pelo Médio Tejo que pretende trazer aos 13 concelhos da região espetáculos de música, dança, teatro de rua, circo contemporâneo e percursos artísticos.

Em declarações à Antena Livre, o secretário executivo da Comunidade Intermunicipal do Médio Tejo, Miguel Pombeiro, falou da importância da promoção da cultura na região:

“Estimular a criação de públicos para a cultura sempre foi um dos objetivos deste programa que é também financiado por fundos comunitários e que pretende ser complementar relativamente àquilo que é a ação de cada município isoladamente”, disse Miguel Pombeiro que destacou ainda a gratuitidade dos eventos com uma das “bandeiras do projeto”.

Ainda este ano, o “Caminhos” regressa a cena em julho para o percurso “Caminhos da Água”, entre os dias 12 a 14 e 19 a 21 de julho.

Em outubro chega o percurso “Caminhos da Pedra”, entre os dias 11 a 13 e 18 a 20.

 

Ana Rita Cristóvão