Médio Tejo com mais 5 infetados e com a Patologia do CHMT na linha da frente (C/ÁUDIO)

2021-03-07

O Médio Tejo tem registo neste domingo de mais cinco casos positivos de pessoas infetadas com o coronavírus e tem menos de cem pessoas confinadas por terem sido contactos de risco de infetados.

De acordo com o relatório epidemiológico deste domingo com estes cinco novos infetados o total acumulado do Médio Tejo está nos 12 655 casos. Nas últimas 24 horas foram registados casos de novos infetados em Entroncamento (1), Ourém (1), Sardoal (1), Tomar (1) e Torres Novas (1).

O número de recuperados (11 777) e o de óbitos (364) continuam inalterados há três dias pelo que o Médio Tejo tem neste domingo 514 casos ativos de pessoas infetadas com o vírus que provoca a Covid-19.

 

No que diz respeito a vigilâncias ativas a Unidade de Saúde Pública dá conta de uma diminuição de pessoas em confinamento, sendo que é o primeiro dia nos últimos quatro meses que estes 11 concelhos têm menos de cem pessoas em isolamento. De notar que o concelho de Mação se mantém, há quase uma semana, com zero casos de isolamentos profiláticos. Os 98 confinamentos decretados pela autoridade de saúde estão registados em Abrantes (10), Alcanena (10), Constância (6), Entroncamento (10), Ferreira do Zêzere (4), Ourém (9), Sardoal (10), Tomar (11), Torres Novas (23) e Vila Nova da Barquinha (5).

O Centro Hospitalar do Médio Tejo (CHMT) começa a caminhar para uma normalização dos seus serviços com a redução de casos Covid que o país está a ter desde o final de fevereiro deste ano.
Na sexta-feira o Presidente do Conselho de Administração do CHMT, Carlos Andrade Costa, deixou a nota do trabalho desenvolvido pelo serviço de Patologia que tem sido uma mais-valia para o combate a pandemia. Primeiro porque foi o laboratório que fez mais de 115 mil testes PCR para detetar o SARS-Cov-2 e depois porque está na linha da frente da identificação das novas variantes do vírus. Isto, de acordo com o administrador, numa altura em que foi confirmada uma segunda variante no Reino Unido que a par da primeira, da brasileira e da californiana, preocupam as autoridades de saúde.

Carlos Andrade Costa

O CHMT caminha para uma normalização da sua estrutura com a redução gradual das áreas dedicadas à Covid na unidade de Abrantes. Neste sentido a Ortopedia e a Medicina já estão de regresso a uma unidade hospitalar que vai manter duas enfermarias dedicadas a doentes infetados com SARS-Cov-2, uma terceira de reserva, e dez camas na Unidade de Cuidados Intensivos.