Pesquisar notícia
quinta,
13 mai 2021
Covid-19

Covid-19: Câmara de Tomar injeta 200 mil euros na economia local e incentiva permanência de turistas

28/04/2021 às 17:37
Partilhar nas redes sociais:
Facebook Twitter

A Câmara de Tomar vai injetar 200.000 euros na economia local, nos setores mais afetados pela pandemia da covid-19, num programa que atribui 'vouchers' a quem pernoitar mais tempo no concelho, anunciou hoje a presidente do município.

O Programa Tomar Check in, hoje apresentado, foi criado pelo município em conjunto com os empresários da hotelaria, dos restaurantes, cafés e pastelarias e operadores turísticos, prevendo a atribuição, a partir de 01 de maio, de ‘vouchers’ de 20 euros para quem pernoitar pelo menos duas noites no concelho, 30 euros para quem ficar três noites e 40 euros para quem permaneça quatro ou mais noites, disse à Lusa a presidente da Câmara de Tomar (no distrito de Santarém), Anabela Freitas.

Anabela Freitas (PS) adiantou que o programa irá decorrer até que seja esgotada a verba de 200.000 euros aprovada pelo município, cumprindo o objetivo de aumentar o tempo de permanência de turistas no território e, simultaneamente, “dar um ‘input’ na economia local, principalmente neste setor que foi muito afetado pela pandemia”.

Admitindo que o facto de se situar em Tomar um monumento Património da Humanidade, o Convento de Cristo, constitui “um chamariz” para atrair visitantes, a autarca afirmou que o concelho tem, além do património cultural - de que destacou ainda "a sinagoga mais antiga do país, em perfeito estado conservação" -, um vasto património natural, de que é paradigma a albufeira do Castelo de Bode, e também gastronómico, atrativos para que os turistas permaneçam mais tempo no território.

Ainda segundo Anabela Freitas, o ‘voucher’ “tem de ser gasto em atividades no concelho de Tomar”, tendo os operadores turísticos criado “produtos diferentes que vêm dar resposta àquilo que poderão ser as necessidades dos turistas para aumentar a sua permanência”.

Como exemplos de possíveis formas de "gastar" o ‘voucher’, a presidente do município tomarense referiu a existência de aulas de ‘wakeboard’ ou de passeio de barco na albufeira do Castelo de Bode, passeios para “ver pontos de interesse no concelho” ou simplesmente desfrutar de “um bom almoço ou um bom jantar num dos restaurantes” ou de uma prova de vinhos numa das adegas dos produtores locais aderentes ao programa.

O programa envolve unidades hoteleiras, mas também restaurantes, pastelarias e cafés, agências de viagens e turismo, agentes de animação turística e guias-intérpretes locais.

De acordo com a vereadora do Turismo, Filipa Fernandes, a campanha, que tem por ‘slogan’ “quem fizer ‘check-in’ não vai querer fazer ‘check-out’”, foi desenhada em conjunto com os próprios empresários, que em muitos casos criaram experiências novas para incluir no programa.

Os vales são divididos em ‘vouchers’ de 10 euros, “de modo a que o seu beneficiário tenha maior liberdade na sua utilização, tendo que ser obrigatoriamente utilizados nas experiências propostas, disponíveis para consulta em www.tomarcheckin.pt, onde podem também ser consultados e contactados os estabelecimentos hoteleiros aderentes”, segundo é referido numa nota do município.

Segundo a nota, cada ‘voucher’ só poderá ser utilizado numa única transação, em pagamentos de valor igual ou superior ao inscrito, não havendo troco ou reembolso e não podendo ser convertido em dinheiro.

Todavia, o pagamento de uma transação poderá ser feito utilizando vários 'vouchers'.

O ‘voucher’ é entregue pelo estabelecimento hoteleiro, após a liquidação da fatura no momento do 'check-in', sendo válido durante o período da estada, até às 24:00 do dia de 'check-out', “não podendo ser utilizados após essa data, salvo resolução diferente por parte dos parceiros, sob sua exclusiva responsabilidade e que não obrigue o município”, é acrescentado no comunicado.

Lusa