Pesquisar notícia
sexta,
24 set 2021
PUB
Concelhos

VN Barquinha: Contas de 2016 aprovadas com abstenções do PSD e CDU

2/05/2017 às 00:00
Partilhar nas redes sociais:
Facebook Twitter

O relatório de Gestão e Prestação de Contas da Câmara Municipal de Vila Nova da Barquinha, referente ao ano de 2016, foi aprovado por maioria em Assembleia Municipal realizada na passada sexta-feira.

Com uma taxa de execução da receita perto dos 93% e da despesa acima dos 80%, Fernando Freire, presidente da Câmara Municipal, afirmou não se lembar “de uma taxa de execução deste nível”.

O presidente da Autarquia afirmou que estes números se devem “a regras de gestão com parcimónia, muita entrega dos próprios funcionários, alguma contenção nalgumas despesas que se conseguiu reduzir, muito esforço, muitas horas mal dormidas e muita colaboração de todos”.

Fernando Freire acrescentou ainda que esta “foi uma apresentação dos números reais”.

Quanto à dívida, a Câmara Municipal de Vila Nova da Barquinha conseguiu uma redução de 11,2% que o presidente considerou “muito bom” e explicou que “também tem a ver com alguma ginástica financeira”.

“O Município de Vila Nova da Barquinha está entre os municípios com as contas equilibradas”, concluiu o autarca.

Da bancada do PSD, o deputado Nuno de Sousa Gomes realçou a percentagem de execução, que considerou “muito boa e a redução do passivo também, tal como a nossa bancada sempre defendeu”. Já em relação “a este orçamento, como nós na altura nos referimos, era um orçamento realista. Ao contrário do orçamento de 2015, que estava altamente empolado, como aliás está também o de 2017, o de 2016 era um orçamento que era realista, portanto, era de esperar que a sua execução fosse relativamente boa”, afirmou Nuno de Sousa Gomes.

O deputado social-democrata realçou ainda o facto do investimento ter sido “baixo”. “Cerca de 50% mais baixo face a 2015, obviamente a justificação serão os fundos comunitários, como se compreende”, afirmou. “Mas se houvesse investimento, não sei onde é que íamos arranjar dinheiro para o cobrir (…) e estávamos com saldo negativo. Tantas promessas, tantos investimentos que depois, felizmente, acabaram por não haver. Mal para as populações, bom para o equilíbrio das contas do Município”, concluiu Nuno de Sousa Gomes.

César Cardigos, do PS, disse que “o Partido Socialista regozija-se com os resultados apresentados, referentes a 2016” e deu “os parabéns à Câmara pelo excelente trabalho desenvolvido”.

Por parte da bancada da CDU, falou a deputada Paula Duarte, que observou ser “um documento que está, mais uma vez, bastante elucidativo do equilíbrio que a Câmara tem conseguido manter”. No entanto, referiu ter dúvidas “nalgumas informações sobre a questão do endividamento e da participação da Resitejo” por não estar tão “explícito e nós gostaríamos apenas de perceber qual foi o critério este ano e se houve ou não mudança”.

O relatório de Gestão e Prestação de Contas da Câmara Municipal de Vila Nova da Barquinha foi então aprovado por maioria e contou com cinco abstenções das bancadas do PSD e da CDU.