Pesquisar notícia
terça,
21 set 2021
PUB
Concelhos

Vila de Rei: Incêndios e limpeza da floresta voltam à Assembleia Municipal

12/02/2018 às 00:00
Partilhar nas redes sociais:
Facebook Twitter

Na última Assembleia Municipal de Vila de Rei, os incêndios do verão passado voltaram a ser tema de debate entre as bancadas.

Antes do Período da Ordem do Dia, o deputado Hélder Antunes, do PSD, fez uma comunicação à Assembleia onde lembrou as propostas anteriormente apresentadas e que instavam o Governo a incluir Vila de Rei nos projetos-piloto do cadastro simplificado e de reflorestação e que, na Assembleia Municipal, a bancada socialista absteve-se na votação.

“Importa, contudo, referir que semelhantes propostas foram aprovadas por unanimidade pela Comunidade Intermunicipal do Médio Tejo, onde foi reconhecida a importância de Vila de Rei não ficar isolada no que diz respeito aos projetos-piloto em curso”. O deputado deixou o “agradecimento a todos os autarcas que, sem olharem a cores partidárias ou questões técnicas, demonstraram solidariedade para com o nosso concelho e as nossas gentes”. O deputado lembrou ainda que a Assembleia da República também aprovou, por unanimidade, dois projetos de resolução da autoria do PSD, a recomendar ao Governo a inclusão de mais municípios nos projetos-piloto em curso”.

Hélder Antunes deixou ainda algumas críticas ao Governo e às medidas que estão a ser implementadas, afirmando que os Municípios não têm condições para as cumprir.

Carlos Dias, deputado municipal do PS, respondeu ao social-democrata que votou favoravelmente uma das propostas e que não vale a pena criar factos políticos.

“Sobre a pequena provocação que foi feita aqui, eu não quero alimentar mais”, disse o deputado que, no entanto, acrescentou que “a bancada do Partido Socialista, na primeira Assembleia, manifestou a sua intenção de ser pró-ativa com o concelho de Vila de Rei. Demos uma manifestação forte, na eleição por unanimidade da presidência. Confiamos nas pessoas que estão aqui. Todos nos conhecemos. Não vale a pena estarem a criar factos políticos porque não nos vão tirar do nosso ponto. Nós não queremos o mal de Vila de Rei. Vocês não gostam mais do concelho de Vila de Rei do que nós”.   

Relativamente à votação, Carlos Dias explicou que “abster-se não é votar contra. Havia ali uma questão política”.

Relativamente ao que já está a ser feito pelo Município na prevenção e limpeza, Ricardo Aires, presidente da Câmara Municipal, anunciou alguns trabalhos em curso.

“Já começámos há algum tempo e no Monte Novo já andamos no terreno a fazer as faixas de contenção na rede viária”. O autarca referiu que não se mexeu ainda em terreno particulares pois esses têm até dia 15 de março para efetuar limpezas aos terrenos mas Ricardo Aires disse acreditar que isso “ainda vai ser mudado” e que “o Governo já está preocupado visto que os municípios não vão ser capazes de fazer o que a lei manda”.

O presidente explicou que “a gestão de combustíveis no concelho de Vila de Rei são 901 hectares, são 518 mil euros, fora ainda a gestão dos proprietários privados”.

A dificuldade na identificação dos proprietários é um dos problemas maiores do Município. Ricardo Aires diz ser impensável cumprir o que o Governo quer. Vila de Rei tem mais de 900 hectares de floresta e isso representa mais de 500 mil euros que o Município não pode suportar.